31 de maio de 2020
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

Notícias » Missão e Mundo

14/05/2020

REGIME COMUNISTA| Coreia do Norte tem 50 mil cristãos torturados em campos prisionais, diz ex-prisioneira

Denúncia foi feita por Hea Woo, que descreveu os maus-tratos à organização cristã Portas Abertas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIANITY DAILY

A extrema perseguição da Coreia do Norte aos cristãos está além da imaginação. O país classificado como o número 1 pela Portas Abertas, como o lugar mais perigoso para os cristãos, coloca as pessoas no campo de prisões quando seguem Jesus.

Os prisioneiros são forçados ao trabalho com revezamento e horários brutais - um esforço para "quebrar" os prisioneiros, diz Hea.

A ex-prisioneira conta que a morte por fome, trabalho duro e espancamentos acontecem diariamente.

Hea Woo* (cujo nome verdadeiro foi preservado por medida de segurança), que vive na Coreia do Sul, compartilhou sua experiência no campo prisional norte-coreano com a Portas Abertas

"Todos os presos estavam morrendo de fome. Cada pessoa recebeu um punhado de milho podre [e] não havia mais nada para comer ... pegamos algo aguado - não era nem uma sopa. Tivemos isso como alimento o ano inteiro. Nada mais", relatou.

Com esse tratamento, as pessoas são obrigadas a trabalhar mais do que animais. "Como todo mundo é forçado a trabalhar, as pessoas morrem de desnutrição. As pessoas morrem de acidentes enquanto trabalham também", acrescentou.

Segundo ela, o dia típico em um horário de campo de trabalho começa às 5 horas da manhã pela contagem de pessoas dos guardas. Seja no verão ou no inverno, eles trabalham das 8h às 19h. À noite os prisioneiros devem ter duas horas de aula de política.

Se alguém for contra, ficará trancado em uma pequena sala onde as pessoas não podem se deitar nem ficar em pé. Os soldados podem atingir os reclusos sempre que mostrarem desobediência.

O marido de Hea também morreu neste campo de prisão.

Hannah (nome fictícios) lembra como, quando a fé de seus irmãos e irmãs foi descoberta. Ela conta que junto com sua família foi isolada dos outros prisioneiros. Eles foram obrigados a viver em celas onde não podiam se levantar ou deitar.

"Logo após entrarmos no campo, vimos guardas forçarem um prisioneiro a matar um bebê. Quase todos os dias, todos éramos chamados para interrogatório e perguntas. Eles nos espancavam com tanta força. Quando não havia interrogatório, precisávamos nos ajoelhar em nossas celas, das 5h às 12h e não falar", lembra Hannah.

"Depois que meu marido viu o que eles fizeram com o bebê e os guardas ameaçaram matar sua família, ele precisou contar a verdade. [Ele sabia que seria pior para toda a família se descobrissem sua fé mais tarde.] Depois de sua confissão, nós quatro estávamos trancados em confinamento solitário - uma pequena gaiola. Não recebemos comida ou água e não conseguimos dormir", conta.

Atualmente, existem cerca de 50.000 crentes que estão na prisão e 300.000 crentes em igrejas clandestinas na Coreia do Norte, segundo relatório da Portas Abertas. A organização cristã pede oração e apoio para a segurança e libertação dos presos na Coreia do Norte.

"Eu oro para que a idolatria que persiste por gerações desapareça e que as pessoas possam se arrepender. Eu orei para que a prisão se partisse também. Eu também orei para que os cristãos de todo o mundo orassem por nós com sinceridade", diz Hea.


Da Redação/AD Alagoas
[email protected]

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria

Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Templo Sede
Av. Moreira e Silva, nº 406, Farol

 

Horário de Cultos

Aos Domingos 09:00h - Escola Dominical

Aos Domingos 18:30h - Culto Evangelístico

As Terças-feiras 18:30h - Culto de Doutrina

As Sextas-feiras 18:30 - Culto de Oracão

Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais