29 de setembro de 2020
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

AD Alagoas / Lições Bíblicas

15/08/2020

LIÇÃO 7 - O Povo de Deus deve Separar-se do Mal

Comentário da lição bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues


-A oração de Paulo se estende do tempo presente até a segunda vinda de Cristo. Os crentes devem ser conservados ou mantidos irrepreensíveis até a vinda do Senhor. Paulo está orando para que a plenitude de sua dedicação a Deus seja mantida até o fim. De acordo com essa carta, os tessalonicenses estavam longe da perfeição, mas o que eles já haviam alcançado valia a pena preservar até a volta de Jesus.TEXTO: 2Co 6:17

INTRODUÇÃO:

-Os filhos de Judá tiveram que tomar sérias decisões para não serem absorvidos pela cultura dos povos que ocupavam suas redondezas. 

-Levemos em consideração também o meio usado pelos líderes judaicos para se comprovar a filiação dos repatriados. 

-Tinham que ter o nome escrito no livro das genealogias.

-Se tal medida não fosse tomada, até mesmo a genealogia estaria comprometida. 

-Como povo de DEUS, devemos manter a nossa identidade como servos de DEUS e preservar o nosso nome no Livro da Vida, afastando-nos de qualquer mundanismo que possa comprometer a nossa comunhão com o Salvador. 

-Fazendo assim não seremos envergonhados no grande Dia do Cordeiro.

-De acordo Deuteronômio 7, o povo de Deus não podia ter nenhuma aliança com os povos da terra.

 -Só Judeus legítimos poderiam participar da construção de Jerusalém.

-Para ser Judeu legítimo deveria provar sua descendência e ter guardado sua santidade, ou seja, ter se separado para DEUS. Não ter se misturado com outros povos.

I – SOMENTE OS JUDEUS RETORNARIAM A JUDÁ

-Para uma pessoa ser considerada apta para fazer parte do grupo que iria transferir-se para Jerusalém, exigia-se que dessa prova de sua linhagem, que provasse ser realmente de Israel.

-Deus não aceita mistura do seu povo com o povo do mundo. Não pode haver comunhão da luz com as trevas.

-A “mistura” na caminhada só deu para murmurar (Nm 11:4). 

-Não é lucro, mais sim, prejuízo, pensar em quantidade ao invés de qualidade.

II – OS JUDEUS NÃO ACEITARAM A AJUDA DOS SAMARITANOS

1 - Quem eram os samaritanos?

-Eram uma mistura de gente pagam, que veio para habitar nas cidades de Samaria, depois que as dez tribos do Norte foram levadas cativas para a Assíria. (2 Reis 17:21-24).

-Era um povo idolatra, serviam aos seus deuses, mas queriam a bênção de Deus (2Rs 17:33; Mt 6:24).

2. Os samaritanos ofereceram cooperação aos judeus.

 -Mas os judeus rejeitaram sua cooperação. 

-Por isso a Bíblia diz que devemos nos afastar daqueles que não tem a Sã doutrina (1Tm 6:3-5; Tt 3:10; 2Jo 10,11).

-Igualmente devemos nos afastar daqueles que têm uma vida irregular (2Pd 3:17).

-Como também daqueles que causam divisões (Rm 16:17,18).

 3. Os samaritanos procuraram aparentar-se com os judeus, mais depois se tornaram inimigos.

-Os samaritanos o que eles queriam era gozar de prestígios, como não conseguiram se tornaram inimigos.

- (Ed 5:62 ) - “Estes buscaram o seu registro entre os que estavam registrados nas genealogias, mas não se acharam nelas; pelo que por imundos foram rejeitados do sacerdócio.”

- (Jo 3:19-21) “diz que eles amaram mais as trevas do que a luz. ”

III – DEUS EXIGE SANTIDADE DO SEU POVO

1. Retornando do cativeiro, Israel separou-se do mal (2 Co 6.17; 7.1). 

2. Quando Josué se preparou para passar o Jordão, ele disse ao povo: “SANTIFICAI-VOS”.(Js 3:5;Hb 12:14).

3.SANTIDADE E ESPERANÇA: duas palavras que definem o povo de Deus, para estes últimos dias.

-A palavra grega elpisate é uma forma verbal de elpis, “esperança”. ... do Novo Testamento; o apóstolo, com base em um mandamento pronunciado diversas vezes por Moisés, requer a SANTIDADE de todos os cristãos.

―”Elpisate” é um imperativo aoristo que estabelece e resume o curso que os cristãos devem seguir. Em vista de nossa identidade como cristãos, nós somos os eleitos de DEUS, estrangeiros em nossa sociedade. Desta maneira, nossas esperanças, nossas expectativas, não devem estar concentradas em nada que este mundo possa oferecer. Riqueza, fama, aceitação, até mesmo sobrevivência — tudo isto é sem significado quando comparado com a herança que será nossa quando CRISTO vier. Se não esperarmos por nada aqui, se todas as expectativas estiverem fixas na Segunda Vinda, então nada que aconteça pode nos levar a agir de maneira que possa implicar negação de nosso Senhor. ̳Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver‘ (Cl 1.15). 

-A SANTIDADE aqui é a pureza moral. Assim como a atitude de fixar nossa esperança na graça que será nossa nos fortalece para vivermos na sociedade como estrangeiros, fixar a nossa esperança nele nos separa do poder daquelas ̳concupiscências que havia em [nossa] ignorância‘ (1.14)‖ (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p.521).

-De acordo com Andrade (2006, p. 326), santidade nas Escrituras tem dois sentidos básicos: “separação do mal e do pecado; e ainda, a dedicação completa ao serviço do Reino de Deus”. Basicamente, santidade é um “corte” ou seja, a “separação” daquilo que é impuro e uma consagração ao que é puro (TYNDALE, 2015, p. 1656). Viver em santidade é uma necessidade para quem quer viver separado da corrupção do pecado e deseja viver única e exclusivamente para Deus, como o fez o apóstolo Paulo (At 27.23). Então notemos alguns aspectos da santidade:

-Santidade é uma ordem divina. Sendo Deus Santo exige dos seus filhos a santificação (Lv 11.44; Lv 19.1,2; 20.6; 1Pe 1.16). Santidade é o alvo e o propósito da nossa eleição em Cristo (Ef 1.4); significa ser semelhante a Deus, ser dedicado a Deus e viver para agradar a Deus (Rm 12.1,2; Ef 1.4; 2.10). A perfeita obra de Deus realiza uma santidade real que conforma ao padrão de Deus (Rm 8.3-4; 1Pd 1.15-16).

-Santidade é separação. A palavra descritiva da natureza divina é santidade, e seu significado primordial é “separação” (Lv 20.24,26; Is 52.11; Ml 3.18); portanto, a santidade representa aquilo que está em Deus, que o torna separado de tudo quanto seja imundo ou pecaminoso. Quando Ele deseja usar uma pessoa ou um objeto para seu serviço, ele separa essa pessoa ou objeto e em virtude dessa separação tomam-se “santo” (2Co 6.14,15; 2Tm 2.21).

-Santidade é consagração. No sentido de viver uma vida santa e justa, em conformidade com a palavra de Deus e dedicada ao serviço divino; o cristão passa a viver em busca da remoção de qualquer impureza que impossibilite esse serviço. Sendo assim, Deus deu ao seu povo, a nação de Israel, o código de leis de santidade que se acham no livro de Levítico. O padrão de vida de um povo que busca a santificação é viver uma vida de consagração (2Co 6.16-b). A santificação é praticada e aplicada ao viver diário do crente (Pv 4.18; 2Co 3.18; 7.1; 2Pd 3.18; 2Co 7.1; Hb 12.14). 

-Santidade é dedicação. Santificação inclui tanto a separação “de”, como dedicação “a” alguma coisa; essa é a condição dos crentes ao serem separados do pecado e do mundo e feitos participantes da natureza divina, e consagrados à comunhão e ao serviço de Deus por meio do Mediador. Israel é uma nação santa, por ser dedicada ao serviço de Jeová (Êx 19.6); os levitas são santos por serem especialmente dedicados aos serviços do tabernáculo (Nm 8.6-26). A palavra “santo” quando referente aos homens ou objetos, expressa o pensamento de que esses são usados no serviço divino e dedicados a Deus, no sentido especial de serem sua propriedade (2Co 6.17,18).

-Santidade é purificação. Embora o sentimento primordial de “santo” seja separação para serviço, inclui também a ideia de purificação. O caráter de Deus age sobre tudo que lhe é consagrado. Portanto, os homens consagrados a ele participam de Sua natureza. As coisas que lhe são dedicadas devem ser limpas e puras (2Co 7.1) Sendo assim, entendemos que pureza é uma condição de santidade (1Jo 3.3). 

-A santidade é a marca característica de um verdadeiro servo de Deus, tanto no AT, pois, o caráter santo de Deus deveria ser refletido na vida de Israel (Lv 11.44; Nm 15.40), como no NT, onde nos é dito que a nossa santificação é a vontade direta e perfeita de Deus para nós (1Ts 4.3).

CONCLUSÃO:

O apóstolo Paulo diz:”O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus CristoFiel é o que vos chama, o qual também o fará.” (1 Ts 5:23-24). ”A cada dia e no dia da vinda de Jesus, devemos consagrar toda a nossa vida ao Senhor, espírito, alma e corpo; se aceitarmos o desafio, Deus é fiel para realizá-lo.”

-O tema principal aqui, é estar irrepreensível em santidade para a segunda vinda de Jesus.”Paulo está dizendo que Deus alcança a pessoa inteira do crente. Cada parte da vida do cristão deve ser afetada pela santificação à medida que se aproxima a vinda de Jesus”. -Ao falar de ‘espírito, alma e corpo’, Paulo está expressando que cada parte de nossa mente e do corpo deve ser submetida a Deus. O Senhor deve ter o controle total de nossos pensamentos, sentimentos e ações. ”




O conteúdo e as opiniões expressas são de inteira responsabilidade de seu autor.

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria

Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Templo Sede
Av. Moreira e Silva, nº 406, Farol

 

Horário de Cultos

Aos Domingos 09:00h - Escola Dominical

Aos Domingos 18:30h - Culto Evangelístico

As Terças-feiras 18:30h - Culto de Doutrina

As Sextas-feiras 18:30 - Culto de Oracão

Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais