06 de agosto de 2020
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

AD Alagoas / Lições Bíblicas

21/12/2019

LIÇÃO 12- A REBELIÃO DE ABSALÃO

Comentário da lição bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues


- INTRODUÇÃO:

- Davi desejava a comunhão eterna com Deus, e certamente queria a mesma salvação para os seus filhos. Mas Absalão não deu valor à palavra de Deus, e não buscou as bênçãos espirituais que seu pai tanto ansiava. Absalão se mostrou um homem vão e carnal, e jogou fora a sua vida na busca por satisfação passageira.

I – TEXTO BÍBLICO

(2 Samuel 15.1-18)

II - A REBELDIA DE ABSALÃO

- “Absalão, quando ainda vivia, levantara para si uma coluna, que está no vale do Rei, porque dizia: Filho nenhum tenho para conservar a memória do meu nome; e deu o seu próprio nome à coluna; pelo que até hoje se chama o Monumento de Absalão.” (2 Sm 18:18). Durante muitos séculos, os habitantes de Jerusalém forçavam os seus filhos rebeldes a atirarem pedras contra o monumento de Absalão para aprenderem onde a rebelião pode nos levar. Isto porque, segundo as Escrituras, Absalão foi um homem rebelde, que ao usurpar trono do seu próprio pai, fracassou e foi morto pelo capitão do exército do rei Davi.

OBS: Nem sempre o significado do nome está relacionado à personalidade da pessoa. Por exemplo, o nome de Absalão, que quer dizer "o pai da paz", nada tem a ver com a sua personalidade. Suas atitudes revelam que ele era uma pessoa de difícil relacionamento. É fácil vermos isso em seu comportamento através de duas características de seu caráter. 

Vejamos: a) Coração cheio de ódio, II Sm 13: 22. Tomando conhecimento de que Amnon havia cometido um incesto, forçando Tamar, sua irmã, Absalão o odiou e, depois de dois anos, o matou. Absalão deveria ter perdoado seu irmão. Mas, sua maldade foi tão grande que a morte de Amnom foi premeditada. Absalão teve frieza para traçar todos os planos e executá-los, v. 30. Nenhum erro justifica o ódio e rancor de uma pessoa contra alguém. I Jo 2: 9 "Aquele que diz está na luz e odeia a seu irmão, até agora, está nas trevas".

III - ABSALÃO, FILHO DE DAVI

- Absalão nasceu em Hebrom, e era filho de Davi com Maaca (2Sm 3:3). Ele é descrito na Bíblia como um homem bastante carismático, inteligente e de extrema beleza, sem nenhum defeito físico (2 Sm 14:25-27); porém ambicioso, vingativo, assassino e rebelde ao pai e a Deus. (Leia 2 Sm 11-18). Depois de ter assassinado o seu irmão mais velho, Absalão constituiu um exército para si e passou a perseguir o seu próprio pai, pois usurpava o seu trono. Davi teve que deixar o palácio às pressas de uma maneira humilhante (2 Sm 15:14). O Salmo 3 descreve a fé de Davi em meio a fuga. Depois da fuga, Davi reorganizou os seus homens, e o seu exército travou uma feroz batalha com o exército de Absalão. Naquele dia, cerca de 20.000 adversários de Davi perderam a vida. Absalão fugiu para o bosque montado no seu mulo, porém foi logo localizado pelos homens de Davi e morto. Absalão, tendo assassinado seu irmão mais velho, Amnom, era agora o provável herdeiro do trono: entende- se que Quileabe, filho de Abigail, havia morrido na infância. Talvez mesmo Davi o aprovasse, pois já o havia perdoado pelo assassínio. Fisicamente era um homem atraente, decerto semelhante ao pai em muitos aspectos.

- Mas ele era ambicioso, e não estava disposto a aguardar os acontecimentos e colocar o seu futuro nas mãos do SENHOR, como o seu pai fazia. Ele queria assumir o reino logo, não lhe importando se fosse necessário até mesmo derrubar o seu pai do trono. Com esse objetivo, ele começou uma campanha sutil e secreta para ganhar a simpatia do povo, e afastar o povo do rei Davi. Todos os que vinham a Jerusalém tinham que entrar pela porta da cidade, portanto os comerciantes colocavam em volta as suas tendas de mercadorias, fazendo dela um "shopping centre" em linguagem moderna. Além disso, as pessoas mais importantes se dirigiam para lá para se encontrar e tratar dos seus assuntos, e mesmo resolver problemas de ordem legal. Com alguma pompa, Absalão instalou-se na porta de Jerusalém com seus homens e chamava à sua presença todos aqueles que vinham a Jerusalém em procura de justiça da parte do rei, pois Davi era o juiz supremo da nação. Absalão fingia ter uma grande pena e simpatia por eles, declarava que eles não tinham quem os ouvisse da parte do rei, e lamentava não ser ele próprio juiz na terra, para que viessem a ele todos os que tivessem demanda ou questão, para que lhes fizesse justiça! Com isso ele foi se tornando muito popular.

- Muitos se deixaram impressionar por esse estratagema de Absalão e transferiram sua lealdade para ele. Mais tarde descobriram como haviam sido enganados. Ao fim de quatro anos, sob o pretexto de que tinha que cumprir um voto, Absalão foi até Hebrom, onde havia nascido (capítulo 3:2, 3), levando com ele duzentos homens convidados, que não sabiam das suas verdadeiras intenções. Hebrom foi a primeira capital do reino de Davi, durante sete anos, e Absalão teria ali muitos velhos amigos para lhe dar apoio ao rebelar-se contra o pai. Também foi com ele um velho conselheiro de Davi, chamado Aitofel, que tipifica Judas Iscariotes (Salmo 41:9). Provavelmente avô de Bateseba (2 Samuel 11:3 e 23:34) talvez guardasse algum ressentimento contra Davi por causa da maneira com que tratou Urias. Secretamente, Absalão mandou avisar todas as tribos que, ao ouvirem o som das trombetas, elas saberiam que ele era rei em Hebrom.

IV – EXTRAINDO ALGUMAS LIÇÕES COM DAVI E ABSALÃO?

- Em primeiro lugar, devemos admitir que este acontecimento foi consequência do pecado que Davi cometeu (2 Sm 11) e o cumprimento da profecia de Natã (2 Sm 12). Talvez, foi um dos piores momentos que Davi enfrentou em sua vida. Como pai, amava a Absalão, mas não podia se tornar prisioneiro ou acabar morto pelo seu próprio filho que usurpava o trono de Israel. Antes de começar a batalha final, Davi deu ordem aos seus capitães para que capturassem Absalão vivo, e o tratassem com brandura, porém não foi isso que aconteceu. Joabe, um dos capitães, desprezou a ordem de Davi e matou Absalão com três dardos no seu coração, quando este estava totalmente indefeso, preso pelos seus cabelos entre os ramos de um carvalho. Ao receber a notícia da morte de Absalão, Davi se comoveu profundamente e chorando disse: Meu filho Absalão, meu filho, meu filho Absalão! Quem me dera que eu morrera por ti, Absalão, meu filho, meu filho!” (2Sm 18:33). Esta é uma tragédia familiar que ainda hoje pode acontecer nas famílias crentes: Pais fervorosos na fé que procuram fazer de tudo para o Senhor e à Sua igreja, porém filho rebelde, violento, pecador, sem temor a Deus nem aos pais. Por um lado, o pai o ama por ser seu filho, por outro lado, é a causa de sua desgraça. Neste caso, fica dividido entre se teria sido melhor se este filho nunca tivesse nascido, ou se deve dar a própria vida por ele. Que situação! Não poucos pais crentes acabam se enfraquecendo na fé mediante esta situação calamitosa, porém não foi o caso de Davi. Apesar de todos estes acontecimentos na vida de Davi e Absalão serem proféticos, devemos admitir que Davi, por sua vez, também fracassou na educação do seu filho.

4.1 Revelou quem de fato era fiel a Davi. Davi foi traído por Absalão seu próprio filho, por Aitofel seu melhor amigo que revelou sua deslealdade levantando-se contra o ungido do Senhor (2Sm 15.12,31 ver Sl 41.9; Sl 55.12-14), e por Simei da casa de Saul que saía amaldiçoando, lançando pedra e poeira (2Sm 16.5-13). Em contra partida, outros homens são mencionados como sendo leais a Davi. O rei foi ajudado por Sobí dos filhos de Amom; Maquir de Lodebar; e Barzilai de Rogelim que trouxeram para o rei: “camas, bacias, vasilhas de barro, trigo, cevada, farinha, grão torrado, favas, lentilhas torradas, mel manteiga, ovelhas, e queijos de vacas” (2Sm 17.27-29). Além destes outros podem ser mencionados como: (a) Itai, o giteu (2Sm 15.19-22); (b) Zadoque e Abiatar, os sacerdotes (2Sm 15.24,27,35); (c) os levitas (2Sm 15.24); (d) Husai, amigo de Davi (2Sm 15.37); (e) servos anônimos (2Sm 15.18); e, (f) seiscentos homens (2Sm 15.18). Depois do Vale de Cedrom Davi escreveu (Sl 3.1-8), e naquela noite, depois que Davi adorou ao Senhor, Davi dormiu.

4.2 Revelou o fim dos que são rebeldes. Absalão não teve sucesso na sua almejada pretensão. O seu final não foi tão belo quanto pensava, pois tomou um caminho perverso, onde não teve a aprovação de Deus. Sua dignidade foi corrompida, porque deixou o diabo dominar o seu coração. Uma batalha foi travada em Efraim onde Davi repartiu o seu exército sob a direção de Joabe, Abisai e Itaí (2Sm 18.2). Nesta batalha, quase vinte mil homens de Absalão morreram. Absalão enquanto galopava em sua mula, seus cabelos se embaraçaram nos ramos de um grande carvalho e suspenso, ele foi morto por Joabe e seus escudeiros (2Sm 18.14,15). Absalão perdeu a vida por entrar no caminho da desobediência, arrogância e rebelião.

CONCLUSÃO:

Uma pessoa precipitada é uma pessoa normalmente rebelde, temerária e imprudente, que age irrefletidamente obedecendo ao impulso do momento. Ela não pensa bem antes de agir apressadamente, e se atreve a correr riscos demasiados e desnecessários. Os rebeldes e inconsequentes são açoitados e não avaliam antecipadamente os efeitos dos seus atos. As pessoas rebeldes e precipitadas muitas vezes pecam pelo excesso de pragmatismo, por quererem agir rápido para resolver determinada situação. Essa impulsividade pode levar as pessoas a falarem, tomarem decisões ou fazerem coisas que posteriormente as levarão a lamentarem por terem agido inconsequentemente”. Que Deus nos ajude a nunca plantarmos essa semente, por que cedo ou tarde colheremos seus frutos. (1Sm 15:22,23).



O conteúdo e as opiniões expressas são de inteira responsabilidade de seu autor.

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria

Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Templo Sede
Av. Moreira e Silva, nº 406, Farol

 

Horário de Cultos

Aos Domingos 09:00h - Escola Dominical

Aos Domingos 18:30h - Culto Evangelístico

As Terças-feiras 18:30h - Culto de Doutrina

As Sextas-feiras 18:30 - Culto de Oracão

Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais