22 de setembro de 2020
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

AD Alagoas / Lições Bíblicas

06/12/2019

Lição 10 - O Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus

Comentário da lição bíblica para o fim de semana com o Pr. Jairo Teixeira Rodrigues


INTRODUÇÃO:

Esta lição vem para Eu e você se conscientizar, de que somente com o revestimento da graça de Deus, na força e no poder do Espírito, podemos se livrar do pecado. Davi era um homem segundo o coração de Deus, mas nem isso lhe fez imune ao pecado. Não há tempo de crente, posição, ambiente ou lugar, em que estejamos seguros demais para evitar o pecado. Embora redimidos ainda habitamos em um corpo onde habita a natureza pecaminosa que luta contra o Espírito 24 horas por dia. Mas buscando a graça divina é o poder de Deus podemos vencer.

I-O HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS 

-Muitas pessoas vivem a declarar que Davi foi “o homem segundo o coração de Deus”. Falam e repetem essa verdade, sem saber o que ela realmente significa. Alguns pensam que os pensamentos de Davi refletiam o coração de Deus (isso encontramos somente em Jesus Cristo). Outros, pensam que por ele ser um poeta, e compor lindos cânticos de louvor ao Senhor, fazia dele esse homem segundo o coração de Deus. Já outras pessoas questionam: “Como pode, ele que matou e adulterou ser conforme o coração de Deus? Será que o coração de Deus aprova isso?” Só para esclarecer, Jesus Cristo foi o único que revelou o coração de Deus de maneira exata. Ele fazia exatamente o que o Pai faz, dizia exatamente o que o Pai diz, agiu exatamente conforme a vontade do Pai. O Deus que não podia ser visto, Jesus Cristo O revelou. Deus passou a ser visto em Jesus. Ele é a expressão exata de Deus (Hebreus 1.3)

Mas, então, o que significava para Davi, ser um homem segundo o coração de Deus? A própria Bíblia responde. O texto acima responde. Davi era um homem segundo o coração de Deus, pois, como servo “faria toda a vontade de Deus”. Em outras palavras, “realizaria toda a obra que Deus desejava receber das mãos dele”. Ainda, “serviria a Deus, cumprindo todo o propósito de Deus para sua vida”.

Veja o que aconteceu: o povo de Israel pediu para ter um rei. Então, Deus lhe indicou um homem chamado Saul. Era grande e forte, uma aparência de guerreiro. Isto era o que o povo queria naquele momento: um rei guerreiro para lutar as suas guerras. Acontece que, já na segunda batalha, Saul desobedeceu a Deus. Tenta fazer o papel de um sacerdote, algo que Deus havia dado exclusivamente aos levitas. Isso foi grave diante de Deus. Passado um tempo, Deus deu uma ordem diante de uma batalha, e Saul, novamente, desobedeceu a Deus, agindo de modo a agradar o povo que estava com ele e não a Deus. Então, o Senhor levou Davi diante do povo de Israel. O princípio da diferença entre Davi e Saul, é que Saul errou quando procurava ser bem-visto diante do povo, já Davi se preocupava em honrar o nome de Deus.

II - OS PECADOS COMETIDOS POR DAVI.

-O capítulo 11 registra o pecado e queda trágicos de Davi. Ao invés de ir adiante do seu exército na batalha, conforme fizera antes, Davi ficou em Jerusalém. Foi tomado de uma indolência que não demorou a levá-lo ao colapso moral e espiritual. Sua vida de conforto e luxo como rei desenvolveu nele a autoconfiança e a imoderação. Nesse tempo, ele deixou de ser um homem segundo o coração de DEUS (1 Sm 13.14). Davi, deste modo, caindo da graça (cf. Gl 5.4), é uma advertência a todos os crentes: "Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia" (1 Co 10.12).

-(11.2 ) VIU... A UMA MULHER. Os capítulos 11-24 registram as graves falhas espirituais de Davi e os castigos subsequentes da parte de DEUS, sobre ele, pelo resto da sua vida.

(1) Esse relato dos pecados de Davi e as tragédias que se seguiram na sua vida pessoal e doméstica serve como exemplo de grave advertência, não somente para Israel, como também para o crente do NT. Concernente a eventos semelhantes na época do êxodo, o ESPÍRITO SANTO salienta, através do apóstolo Paulo: "tudo isso lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos" (1 Co 10.11). Por isso, devemos tomar todas as precauções para não desejarmos coisas iníquas, nem agir com imoralidade, nem tentar ao Senhor (cf. 1 Co 10.6-9).

(2) O pecado de Davi demonstra até onde pode cair uma pessoa que se desvia de DEUS e da orientação do ESPÍRITO SANTO. Quando DEUS inicialmente chamou Davi para ser rei, este era um homem segundo o próprio coração de DEUS (1 Sm 13.14; At 13.22); ao mandar eliminar Urias e tomar a sua esposa, Davi estava desprezando a DEUS e à sua Palavra (12.9,10; cf. 1 Co 10.12).

(3) Embora Davi tenha se arrependido dos seus pecados e recebido o perdão da parte de DEUS, as consequências disso não foram eliminadas por DEUS. Semelhantemente, um crente que venha a cometer pecados terríveis, pode receber, através da tristeza segundo DEUS e o arrependimento sincero, a graça e perdão da parte de DEUS. Mesmo assim, a restauração do nosso relacionamento com DEUS não significa que escaparemos do castigo temporal, nem que ficaremos isentos das consequências dos pecados específicos (vv.10,11,14).

(4) DEUS não deixou passar, nem desculpou os pecados de Davi, sob o pretexto de ele ser um mero ser humano; que seus pecados eram simples fraquezas ou falhas humanas, ou que ele, como rei, teria o direito natural de recorrer à injustiça e à crueldade. Davi não era obrigado a fazer o que fez. Mesmo na redenção imperfeita do antigo concerto, pessoas, como o profeta Samuel, continuavam leais e fiéis diante de DEUS, através da graça que lhes era concedida (1 Sm 12.1-5,23; ver 1 Sm 25.1). O escritor deste livro claramente condena as grandes transgressões de Davi, sem procurar desculpá-las.

(5) A maneira correta de lidarmos com nosso pecado é nos arrependermos dele e, com toda a sinceridade, buscarmos em DEUS o perdão, a graça e a misericórdia (Sl 51; Hb 4.16; 7.25), e nos dispormos a aceitar, sem amargura nem rebelião, o castigo divino pelo nosso pecado. Davi tanto reconheceu quanto confessou seus pecados terríveis, voltou-se para DEUS, e aceitou a repreensão de DEUS com humildade (12.9-13,20; 16.5-12; 24.10-25; Sl 51).

-O pecado é uma realidade. Davi pecou porque era um pecador. Ele não se tornou pecador porque pecou, pecou por era pecador (Rm 3:23). Nós, Embora salvos pela graça de Deus, seguimos lutando contra o pecado, mas agora livres por Cristo e capacitado pelo Espírito para não mais nos dobrarmos diante dele. Entretanto, a Palavra de Deus mostra que mesmo uma pessoa que esteja fazendo a vontade de Deus, a partir de um descuido, pode se vê enredado no laço pecaminoso. A lição desta semana traz um entendimento de que somente no poder e na força do Espírito Santo é possível ser livre do pecado. É preciso estar vigilante. O homem segundo o coração de Deus era o escolhido, mas deu lugar ao Diabo. Essa É a fonte mais cruel da tentação. Seu caráter é sempre destrutivo.

a) JESUS foi tentado.

É a fonte mais terrível e avassaladora da tentação. Dela, não escapou nem mesmo nosso Senhor JESUS CRISTO. Após o batismo em água, Ele foi conduzido "pelo ESPÍRITO para ser tentado pelo diabo" (Mt 4.1; Mc 1.13; Lc 4.2). Foi o único que não caiu em pecado (Hb 4.15).

b) Homens de DEUS foram tentados.

Homens de DEUS, do porte de Abraão, Sansão, Davi, e tantos outros, foram tentados pelo Adversário (Satanás) a fazerem o que não era da vontade de DEUS, com sérios prejuízos para suas vidas.

c) Os homens comuns são tentados.

Os homens são tentados a praticar toda espécie de males, crimes, violência, estupros, brigas, ciúmes, guerras, mentiras, calúnias, roubos, etc...

d) Os crentes são tentados.

Até os crentes em JESUS são vítimas da ação do maligno, quando causam prejuízos a Igreja do Senhor, com escândalos, calúnias, invejas, divisões, rebeliões, busca pelo poder, politicagem religiosa e tantas outras coisas ruins.

III-EVITANDO AMBIENTES PROPÍCIOS AO PECADO.

-Davi criou um ambiente propício ao pecado e deu vazão aos meios que contribuem para sua prática. A Bíblia qualifica o adultério como a causa do homicídio executado por Davi.

-As Escrituras Sagradas não escondem o pecado do homem. Isso nos traz o entendimento de que devemos confessar os nossos pecados e jamais encobri-los. A melhor maneira de tratar o pecado é chamando-o pelo nome, colocando-o diante do Senhor e tomar a resolução de nunca mais praticá-lo. Para essa obra temos o auxílio do Espírito Santo que intercede por nós com gemidos inexprimíveis (Rm 8.26).

-Oriente aos alunos quanto aos cuidados que se deve tomar para não se dá ocasião ao pecado. É preciso tomar cuidado com ambientes, amizades e demais locais e ocasiões que facilitem a sua prática. É preciso apresentar uma perspectiva de prudência com a nossa vida espiritual. Nosso Senhor, segundos os Evangelhos, recomenda-nos uma vida de vigilância.

-Deixe claro que o pecado de adultério ainda é pedra de tropeço para muitos. Ele é grave, sério e extremamente cruel contra a pessoa e a família. Se puder ler com a classe o texto de Provérbios 7.6-27, faça-o. Trata-se de uma narrativa parabólica viva que apresenta a realidade do adultério e sua consequência infame. Ao praticante é lhe dado a alcunha de “jovem displicente”. É exatamente como se comporta a pessoa que pratica o adultério.

-Em nossa vida temos com certeza cometido muitos pecados e temos falhado em nossa busca pela perfeição do caráter de CRISTO. É certo de termos muitos defeitos e de possuirmos poucas características de CRISTO em nossa maneira de conviver com os outros que nos cercam. Porém, com certeza, DEUS vê algo em nós que O agrada, temos alguma característica em nosso caráter que é semelhante ao seu querido e íntimo Rei Davi.

-Davi pecou muito, cometeu adultério, assassinato, agiu errado com os filhos, mas Davi tinha algo que agradava a DEUS, era sua grande capacidade de reconhecer seu erro e, mais importante ainda do que isto, de se arrepender de seus pecados. Ele assumia sua culpa diante de DEUS e pedia sua misericórdia, clamava pela sua comunhão, se humilhava diante Do Todo Poderoso até que Este lhe concedesse perdão.

IV-COMO VENCER AO PECADO.

-Nossa obrigação, como nascidos de novo, é não pecar jamais, porém se pecarmos, devemos nos lembrar de nosso advogado junto ao PAI, JESUS CRISTO. (1 Jo 2.1) Estamos nos lembrando da palavra de DEUS quando cometemos algum deslize?

-(1João 1.8 ) Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. 9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. 10 Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.

-(1.8 ) SE DISSERMOS QUE NÃO TEMOS PECADO. João emprega o substantivo "pecado" em vez da forma verbal "pecamos", para enfatizar o pecado como um princípio imanente na natureza humana.

(1) João está provavelmente argumentando contra os que afirmam que o pecado não existe como um princípio ou poder na natureza humana, ou contra os que afirmam que as más ações que eles cometem não são realmente pecado. Essa heresia continua ainda hoje entre os que negam a realidade do pecado e que interpretam a iniquidade em termos de causas deterministas, psicológicas ou sociais (ver Rm 6.1; 7.9-11).

(2) Os crentes devem conscientizar-se de que a carne, ou a natureza humana pecaminosa, é uma ameaça constante na sua vida, e que devem sempre estar mortificando as suas más obras por meio do ESPÍRITO SANTO que neles habita (Rm 8.13; Gl 5.16-25).

-(1.9 ) CONFISSÃO DE PECADO. Devemos reconhecer os nossos pecados e buscar em DEUS o perdão e a purificação deles. Os dois resultados disso são:

(1) o perdão divino e a reconciliação com DEUS, e

(2) a purificação (i.e., remoção) da culpa e a destruição do poder do pecado, a fim de vivermos uma vida de santidade (Sl 32.1-5; Pv 28.13; Jr 31.34; Lc 15.18; Rm 6.2-14). 

-(1.10 ) NÃO PECAMOS. Quem afirma que não peca, também não precisa da eficácia salvífica da morte vicária de CRISTO, e está fazendo DEUS de mentiroso (cf. Rm 3.23).

CONCLUSÃO:

Deus enviou o profeta Natã para repreender a Davi. O profeta contou uma história que fez com que o rei reconhecesse o seu erro (2Sm 12.1,4). Ao ouvir a parábola, Davi lhe interrompeu dizendo: “Vive o Senhor, que digno de morte é o homem que fez isso” (2Sm 12.5). Nessa ocasião, o profeta lhe diz: “Tu és este homem” (2Sm 12.7). Aquelas palavras fizeram com que a ira de Davi se transformasse em pesar. Quando confrontado pelo profeta Natã por causa do seu pecado, Davi com sinceridade confessou: “Pequei contra o SENHOR” (2Sm 12.13). No salmo 51 encontramos a oração de Davi diante do Senhor confessando o seu pecado: “Contra ti, contra ti somente pequei [...]” (Sl 51.3). Quando reconheceu o seu pecado, Davi se quebrantou diante do Senhor: “e jejuou Davi, e entrou, e passou a noite prostrado sobre a terra” (2Sm 12.16). No salmo 51 vemos ele quebrantado dizendo: “os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus” (Sl 51.17). Davi arrependeu-se amargamente da sua iniquidade e pediu a Deus que lavasse os seus pecados, e o purificasse (Sl 51.2), que lhe desse um coração puro e um espírito reto: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto” (Sl 51.10).

Que a misericórdia de Deus seja sobre nós, e que o Espírito Santo nos ajude a permanecermos de pé, na sua Presença. Amém.



O conteúdo e as opiniões expressas são de inteira responsabilidade de seu autor.

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria

Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Templo Sede
Av. Moreira e Silva, nº 406, Farol

 

Horário de Cultos

Aos Domingos 09:00h - Escola Dominical

Aos Domingos 18:30h - Culto Evangelístico

As Terças-feiras 18:30h - Culto de Doutrina

As Sextas-feiras 18:30 - Culto de Oracão

Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais