18 de novembro de 2018
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

Artigos

Pr. Aldo Ferreira de Souza
Pastor e Missionário no Campo Missionário em Honduras, Bacharel em Teologia pela Faculdade de Filosofia e Teologia de Alagoas (FAFITEAL), membro da Convenção de Ministro de Alagoas (COMADAL), Graduação e Pós-graduação em Segurança Pública, Curso de Espanhol ( FITES), Curso de Missões na Escola de Missões das Assembleias de Deus (EMAD), Curso de Antropologia Missionária e Fundamentos Apostólicos da Obra Missionária (FATEM).
19/06/2018

Missões: Um Grande Desafio


Introdução.

“E, saindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”. (At.13.2).

O Espírito Santo continua a chamar hoje, como nos dias primitivos. Ele chama crentes espirituais, sérios e determinados. Amém. Portanto, o que todos encarregados por missões deve saber – chama-se grupo, ministério, departamento, área ou comitê, cada igreja precisa de uma forte equipe de pessoas capacitadas para facilitar a visão e formação missionária, a mobilização de oração e recursos financeiros, incorporando e o envio de novos missionários. Este trabalho é uma contribuição para a iniciação e formação de uma estrutura dinâmica de missão dentro da congregação. Você também pode ajudar grupos que já existem, mas precisa de orientação para seguir em frente.

I - Oração.

Lutero disse que: A oração é o suor da alma, a mobilização missionária da congregação deve começar com uma oração especifica. Esse é o meio de preparar o caminho e isso só pode ser alcançado pelo Senhor, porque é Ele quem edifica (Sl.127.1). A oração deve levar em conta os seguintes pontos: discurso divino para saber falar com os líderes da congregação. Para que o senhor toque os corações da liderança de tal maneira que eles abram com dedicação a causa do trabalho missionário e reafirmem o compromisso de levar a congregação a esse objetivo. Para as pessoas que são necessárias para formar o grupo de missões ou um coração que as leva a se comprometer de uma maneira perseverante. Para os corações dos membros da congregação se abrirem e se renderem à obediência da Grande Comissão.

 Pelo discernimento de entender os meios pelos quais o inimigo procura parar, desviar e até impedir esse compromisso missionário. A oração deve ser o acompanhamento constante durante todo o processo de mobilização e trabalho missionário. Todos devem orar e de modo especial aqueles que realizam esta tarefa, é um ministério que pode ser especialmente adiado por aqueles que têm um chamado à intercessão.

II - Uma Pessoa Plenamente Dedicada.

Cada mobilizador missionário deve conhecer e prepara-se para ser um trabalhador aprovado e treinado sobre o tema das missões e sobre os princípios do movimento missionário. Precisamos ter um banco de dados Missio lógico atualizado por meio de estudos pessoais e cursos reconhecidos. Aquele que leva a tocha missionária deve estar em dia com os principais conceitos das missões. Ele deve conhecer e ser capaz de transmitir as bases bíblicas das missões, o modelo missionário de Jesus Cristo, a obra missionária do Espírito Santo. Precisa ser atualizado com dados e informações. É importante saber onde estão os recursos disponíveis e como usa-los na área. Conhecer e relacionar-se com outros mobilizadores missionários na área é muito importante para alimentar a visão e saber como os outros trabalham na questão resolveram os desafios que apresentam.

III - A Visão Deve ser Apresentada.

Não é suficiente para o mobilizador ter visão missionária e se preparar. Sua função é contribuir para o desenvolvimento missionário de toda a congregação. É por isso que a visão deve ser direcionada para um projeto sério, ponderado e progressivo, para compartilhar este projeto requer uma preparação bem pensada, dada no momento certo e de maneira apropriada. Será impecável ter uma entrevista com o pastor da igreja. Ao solicitar a entrevista deve ser expresso de forma breve e concisa. Abaixo estão alguns tópicos a considerar para a entrevista, a saber:

·  Prepare um esboço com a apresentação. Você deve ter preparado bem o que vai comunicar. Uma apresentação vaga e imprecisa não terá uma boa recepção. Busque sempre que a apresentação do projeto missionário seja do interesse da igreja e de sua realidade imediata. Para isso deve conhecer a congregação, seus pontos fortes e fracos. A apresentação deve ser acompanhada do material escrito onde é baseada e detalhada.

·  Solicitar permissão e apoio pastoral para formar um grupo de missões na congregação. Deve ser assegurado que o pastor a integre. Caso contrário, deve ser um dos líderes da congregação para ser o elo entre o grupo de missões e a liderança. Pesquise a integração para a equipe de outras pessoas reconhecidas. Mas você não precisa se preocupar se apenas algumas pessoas se aproximarem de quem está disposto.

·  Coordenar uma reunião regular com pastor para relatar as notícias e o andamento da tarefa. Será um momento para informa-los dos progressos e dificuldades e compartilhar sobre os projetos e ideias. Sempre mantenha uma atitude de serviço e esteja preparado para fornecer um relatório ou apresentação quando necessário.

IV - Uma Excelente Equipe.

É hora de procurar o equipamento. As partes interessadas podem ser convocadas com base na sugestão dos líderes ou na evidência de interesse missionário que tenham mostrado ou em sua oferta voluntaria em resposta a um anuncio. Você deve solicitar um momento em uma reunião para dar anuncio. Se possível, peça ao pastor que faça isso antes da congregação. Então, você tem que encontrar com aqueles que respondem e estão interessados, ou seja, um tempo e um lugar definidos com antecedência. Para antecipar o assunto, é possível fornecer material de orientação que servirá para saber sobre o que é tarefa e preparar seu compromisso de participação. É aconselhável ter a agenda preparada para a reunião, que é fundamental para o início e desenvolvimento da vida do grupo de missões. Pode haver um tempo para se apresentar (se não todos se conhecerem). Dê oportunidades para eles compartilharem o motivo de sua participação e o que esperam. O mobilizador terá a responsabilidade de compartilhar o projeto, que foi aprovado pela liderança, e dar tempo para ouvir perguntas e sugestões. De acordo com a estrutura que toma: grupo de missões, conselho, comissão, etc. Você pode designar algumas responsabilidades. É importante não cair na armadilha de se dedicar à organização e não avançar na tarefa. Este grupo deve ser algo dinâmico, com uma forte ênfase nas relações interpessoais e com uma visão compartilhada e compromisso missionário não é fazer a tarefa sozinho, e se tornar o clube daqueles que tem visão. É exatamente o contrário, deve ser visto e agir como aquele que é parte integrante do corpo e têm a função de despertar, estimular e levar a visão e a ação missionária a toda congregação, de tal forma que todos possam participar. Uma boa equipe não acontece por acaso; você tem que procurá-lo e formá-lo; leva tempo e esforço, mas é um investimento de vida que resultará em frutos abundantes.

V - Todos Devem Ser Bem Treinados.

O grupo de missões precisa de treinamento para desempenhar bem sua função. Mais ainda, para serem eles mesmos moldados pela visão e pelo chamado de Deus. Aquilo que não pode ser dado o que alguém não tem também se aplica neste contexto. Boa parte do primeiro ano do projeto (ano de lançamento) deve ser gasto na formação missionária da mesma equipe. Não é uma questão simples de se reunir para preparar uma atividade ou preencher um calendário para que haja alguma missão. A tarefa que foi realizada é de longo prazo. Os passos necessários para esse proposito são sugeridos abaixo:

·  Incentive os membros a fazer um curso ou workshop sobre como mobilizar a visão missionária na igreja.

·  Aprofunda-se no conceito e papel de uma igreja que envia.

·  Incentivar os membros do grupo a realizar algumas experiências missionárias, se possível de forma transcultural. Por exemplo, uma vizinhança marginalizada ou imigrante, uma igreja étnica etc.

·  Reserve tempo para orar pela equipe, pela liderança e pelo trabalho missionário.

VI - O Que Não é Aprimorado se Torna Estagnado.

Uma vez que a preparação da equipe missionária esteja em andamento, a tarefa de mobilizar a congregação deve ser realizada. A mobilização, ou colocar uma igreja no movimento missionário, não é alcançada de uma semana para outra. Envolve um processo baseado no compromisso perseverante daqueles que o levam adiante. Isso implica:

·  Pesquisar os materiais e elementos necessários para cultivar a visão missionária

Entre crianças, jovens e adultos. O resultado inicial desta tarefa é despertar e formar a visão missionária em cada grupo. Um dos objetivos é ter uma reunião mensal focada em missões. Muitos mobilizadores concordam que é difícil levar a congregação a uma reunião: domingo missionário, por exemplo.

·  Iniciar a formação de uma publicação (boletim etc.) para a visão e ação missionária da congregação.

·  Planejar viagens de curto prazo para oferecer oportunidades de missão para adolescentes, jovens e adultos. Para que a experiência seja significativa, orientação prévia e acompanhamento devem ser dados.

O ministerio de Jesus foi compartilhado com pregação, ensino e cura para os aflitos. Do Senhor, aprendemos que temos que ser um ministro do púlpito, ministros de livros e ministros interativos.

“Percorria Jesus toda a Galileia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo”. (Mt.4.23).


Missionário Aldo Ferreira de Souza

           

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria
Cadastro Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.
Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais