12 de novembro de 2019
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

AD Alagoas / Lições Bíblicas

26/10/2019

Lição 4- A Degeneração da Liderança Sacerdotal

Comentário da lição bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues


INTRODUÇÃO:

A vida cristã está diretamente em confronto com o pecado. Nesse sentido, a lição tem como objetivo geral nos conscientizar a evitar o pecado a todo custo. Naturalmente, isso não ocorre a partir de obras próprias, mas por meio do ESPÍRITO SANTO que nos capacita a viver uma vida santa diante de DEUS e dos homens.

I- A DEGENERAÇÃO DOS FILHOS DE ELI: 

- Os filhos de Eli não valorizaram o que DEUS lhes deu, trocaram pelos prazeres da vida e receberam as consequências por isso destacamos a degeneração dos filhos de Eli, mostrando que eles não valorizaram o que DEUS lhes deu, trocando pelos prazeres da vida; mas receberam as consequências dessa decisão trágica. 

1. Quando não valorizamos o que DEUS nos deu.

O Sacerdócio é algo tremendamente sério e de maior responsabilidade entre todos os ofícios, pois é um relacionamento direto entre o homem e DEUS e em favor dos homens (intercessão) e não como um relacionamento entre um governante e o povo. Não são coisas efêmeras (terrenas) que são tratadas neste relacionamento, mas coisas espirituais (eternas).

  1. As consequências para quem peca contra DEUS.

O QUE FAZIAM OS FILHOS DE ELI - HOFNI E FINEIAS?

Eram, porém, os filhos de Eli filhos de Belial; não conheciam ao Senhor. Porquanto o costume daqueles sacerdotes com o povo era que, oferecendo alguém algum sacrifício, estando-se cozendo a carne, vinha o moço do sacerdote, com um garfo de três dentes em sua mão; E enfiava-o na caldeira, ou na panela, ou no caldeirão, ou na marmita; e tudo quanto o garfo tirava, o sacerdote tomava para si; assim faziam a todo o Israel que ia ali a Siló. Também antes de queimarem a gordura vinha o moço do sacerdote, e dizia ao homem que sacrificava: Dá essa carne para assar ao sacerdote; porque não receberá de ti carne cozida, mas crua. E, dizendo-lhe o homem: Queime-se primeiro a gordura de hoje, e depois toma para ti quanto desejar a tua alma, então ele lhe dizia: Não, agora a hás de dar, e, se não, por força a tomarei. Era, pois, muito grande o pecado destes moços perante o Senhor, porquanto os homens desprezavam a oferta do Senhor.

1 Samuel 2:12-17 “Viúva, ou repudiada ou desonrada ou prostituta, estas não tomará; mas virgem do seu povo tomará por mulher”. Levítico 21:14

Era, porém, Eli já muito velho, e ouvia tudo quanto seus filhos faziam a todo o Israel, e de como se deitavam com as mulheres que em bandos se ajuntavam à porta da tenda da congregação. 1 Samuel 2:22

Lv 8:14-15. Em contraste com as restrições impostas sobre o comer da oferta de manjares, os sacerdotes têm licença de compartilhar com os membros das suas famílias o peito ("da dádiva especial" NEB) e coxa ("da contribuição" NEB), apresentados como ofertas pacíficas. Estas porções não eram descritas como "coisas santíssimas" e, portanto, podiam ser comidas em qualquer lugar limpo. A carne tinha sido consagrada pela forma especial de apresentação diante de DEUS (ver Lv 9:18- 21), e, portanto, devia ser restrita aos sacerdotes. Era apropriado que tais pedaços seletos fossem a recompensa das pessoas que confiavam totalmente em DEUS para seu sustento.

GORDURA E SANGUE NÃO PODIAM SER COMIDOS - ERAM PROIBIDOS, POIS PERTENCIAM A DEUS.

a oferta do Senhor.

‘Disse mais o SENHOR a Moisés: Fala aos filhos de Israel, dizendo: Não comereis gordura de boi, nem de carneiro, nem de cabra. A gordura do animal que morre por si mesmo e a do dilacerado por feras podem servir para qualquer outro uso, mas de maneira nenhuma as comereis; porque qualquer que comer a gordura do animal, do qual se trouxer ao SENHOR oferta queimada, será eliminado do seu povo. Não comereis sangue em qualquer das vossas habitações, quer de aves, quer de gado.

Toda pessoa que comer algum sangue será eliminada do seu povo’. (Levítico 7:22-27 RA). ‘E o sacerdote queimará tudo isso sobre o altar; é manjar da oferta queimada, de aroma agradável. Toda a gordura será do SENHOR. Estatuto perpétuo será durante as vossas gerações, em todas as vossas moradas; gordura nenhuma nem sangue jamais comereis’. (Levitico 3:16-17).

Filhos de Eli - filhos de BELIAL

bêliya‘al בליעל

Grego βελιαλ

imprestável

1a) imprestável, bom para nada, não proveitoso, companheiro vil 1b) ímpio 1c) ruína, destruição (construção).

II - A SENTENÇA DO JUÍZO DE DEUS:

-A sentença tratava-se da punição de DEUS aos filhos de Eli. Ela seria executada por intermédio da invasão dos filisteus.

-A sentença do juízo de DEUS, esta se tratava da punição de DEUS aos filhos de Eli. Ela seria executada por intermédio da invasão dos filisteus. 

III -AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO:

-A família de Eli foi tirada do sacerdócio de Israel como consequência dos pecados de seus filhos.

-Para mostrar as consequências do pecado e, logo, a retirada da família de Eli do sacerdócio de Israel como consequência dos pecados de seus filhos.

Nesta lição é preciso deixar claro a gravidade e a seriedade do pecado. Num tempo em que os absolutos morais são relativizados, o conceito de pecado, infelizmente, também o é em muitos lugares. Ora, o pecado é uma iniquidade, uma violação à lei de DEUS e, como consequência trágica, ele nos separa dEle (Is 59.2). Além disso, ele pode se revelar por diversas facetas: incredulidade, orgulho, egoísmo, rebelião, corrupção moral, idolatria e muitas outras combinações entre si. O propósito de tratar esse assunto na classe deve ser o de trazer maior vigilância para o cultivo da vida espiritual e moral. Não podemos brincar com o pecado, pois ele definha a vida espiritual e, suas consequências, são cruéis.

A respeito do pecado, especificamente sobre o benefício de falarmos sobre ele. “o conhecimento do pecado deve gerar santidade na vida do indivíduo e uma ênfase à mesma santidade, na pregação e no ensino à igreja. A igreja deve reafirmar a sua identidade, a de comunidade de pecadores salvos por DEUS, ministrando na confissão, no perdão e na cura. A humildade deve caracterizar todos os relacionamentos cristãos, à medida que os crentes tomam consciência, não somente da vida e morte terríveis das quais foram salvos, mas também do preço ainda mais terrível daquela salvação. (HORTON, Stanley. Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, pp.297,98).

Não é dada muita explicação para este mandamento. Mas qualquer pessoa que comesse a gordura ou o sangue deveria ser eliminada do povo de DEUS. Isto mostra o desprazer de DEUS para com esta atitude de desobediência.

Havia uma degeneração total dos filhos do sumo sacerdote Eli, Hofni e Fineias. Não valorizavam o que DEUS lhes confiou. Preferiram os prazeres carnais do que a intimidade com DEUS. Receberam o juízo de DEUS sobre eles mesmos e sua família. Veio a sentença de DEUS. Além de um profeta ter vindo a Eli e lhe falar sobre seus filhos, Samuel, ao ouvir DEUS falar com ele, em sua iniciação profética, também recebeu e entregou a Eli a sentença de Juízo sobre ele e sua família. Morte de 4 membros da família num dia só e sacerdócio perdido. O pecado tem suas consequências funestas. Morte física, da alma e do espírito. DEUS repreende e corrige. Quem não ouve e não atende recebe o justo juízo.

Eli, como muitos pais hoje em dia, só dizia para seus filhos que ouvia falar deles e de seus atos pecaminosos. Dizia que DEUS os puniria. Mas a lei dizia o seguinte: Porque qualquer que comer a gordura do animal, do qual se oferecer ao Senhor oferta queimada, a pessoa que a comer será extirpada do seu povo. Levítico 7:25 Viúva, ou repudiada ou desonrada ou prostituta, esta não tomará; mas virgem do seu povo tomará por mulher. (Levítico 21:14)

IV- O DEVER DOS PAIS COM OS FILHOS:

Cl 3.21 “Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo.”

É obrigação solene dos pais (gr. pateres) dar aos filhos a instrução e a disciplina condizente com a formação cristã. Os pais devem ser exemplos de vida e conduta cristãs, e se importar mais com a salvação dos filhos do que com seu emprego, profissão, trabalho na igreja ou posição social (cf. Sl 127.3).

(1) Segundo a palavra de Paulo em Ef 6.4 e Cl 3.21, bem como as instruções de DEUS em muitos trechos do AT (ver Gn 18.19; Dt 6.7; Sl 78.5; Pv 4.1-4; 6.20), é responsabilidade dos pais dar aos filhos criação que os prepare para uma vida do agrado do Senhor. É a família, e não a igreja ou a Escola Dominical, que tem a principal responsabilidade do ensino bíblico e espiritual dos filhos. A igreja e a Escola dominical apenas ajudam os pais no ensino dos filhos.

(2) A essência da educação cristã dos filhos consiste nisto: o pai voltar-se para o coração dos filhos, a fim de levar o coração dos filhos ao coração do Salvador (ver Lc 1.17).

(3) Na criação dos filhos, os pais não devem ter favoritismo; devem ajudar, como também corrigir e castigar somente faltas intencionais, e dedicar sua vida aos filhos, com amor compassivo, bondade, humildade, mansidão e paciência (3.12-14, 21).

(4) Seguem-se quinze passos que os pais devem dar para levar os filhos a uma vida devotada a CRISTO:

(a) Dediquem seus filhos a DEUS no começo da vida deles (1Sm 1.28; Lc 2.22).

(b) Ensinem seus filhos a temer o Senhor e desviar-se do mal, a amar a justiça e a odiar a iniquidade. Incutam neles a consciência da atitude de DEUS para com o pecado e do seu julgamento contra ele (ver Hb 1.9).

(c) Ensinem seus filhos a obedecer aos pais, mediante a disciplina bíblica com amor (Dt 8.5; Pv 3.11,12; 13.24; 23.13,14; 29.15, 17; Hb 12.7).

(d) Protejam seus filhos da influência pecaminosa, sabendo que Satanás procurará destruí-los espiritualmente mediante a atração ao mundo ou através de companheiros imorais (Pv 13.20; 28.7; 2.15-17).

(e) Façam saber a seus filhos que DEUS está sempre observando e avaliando aquilo que fazem, pensam e dizem (Sl 139.1-12).

(f) Levem seus filhos bem cedo na vida à fé pessoal em CRISTO, ao arrependimento e ao batismo em água (Mt 19.14).

(g) Habituem seus filhos numa igreja espiritual, onde se fala a Palavra de DEUS, se mantém os padrões de retidão e o ESPÍRITO SANTO se manifesta. Ensinem seus filhos a observar o princípio: “Companheiro sou de todos os que te temem” (Sl 119.63; ver At 12.5).

(h) Motivem seus filhos a permanecerem separados do mundo, a testemunhar e trabalhar para DEUS (2Co 6.14—7.1; Tg 4.4). Ensinem-lhes que são forasteiros e peregrinos neste mundo (Hb 11.13-16), que seu verdadeiro lar e cidadania estão no céu com CRISTO (Fp 3.20; Cl 3.1-3).

(i) Instruam-nos sobre a importância do batismo no ESPÍRITO SANTO (At 1.4,5, 8; 2.4, 39).

(j) Ensinem a seus filhos que DEUS os ama e tem um propósito específico para suas vidas (Lc 1.13-17; Rm 8.29,30; 1Pe 1.3-9).

(l) Instruam seus filhos diariamente nas Sagradas Escrituras, na conversação e no culto doméstico (Dt 4.9; 6.5, 7; 1Tm 4.6; 2Tm 3.15).

(m) Mediante o exemplo e conselhos, encorajem seus filhos a uma vida de oração (At 6.4; Rm 12.12; Ef 6.18; Tg 5.16).

(n) Previnam seus filhos sobre suportar perseguições por amor à justiça (Mt 5.10-12). Eles devem saber que “todos os que piamente querem viver em CRISTO JESUS padecerão perseguições” (2Tm 3.12).

(o) Levem seus filhos diante de DEUS em intercessão constante e fervorosa (Ef 6.18; Tg 5.16-18; ver Jo 17.1 sobre a oração de JESUS por seus discípulos, como modelo da oração dos pais por seus filhos).

(p) Tenham tanto amor e desvelo pelos filhos, que estejam dispostos a consumir suas vidas como sacrifício ao Senhor, para que se aprofundem na fé e se cumpra nas suas vidas a vontade do Senhor (ver Fp 2.17).

V– O CASTIGO PELA DEGENERAÇÃO DA LIDERANÇA SACERDOTAL

1-Samuel foi levantado em um tempo onde não havia atividade profética, provavelmente porque havia poucos israelitas fiéis que dariam ouvidos à Palavra de Deus: “[...] não havia visão manifesta” (1Sm 3.1). Observamos o quanto o povo daquela época estava longe de Deus (Jz 21.25), as pessoas faziam o que parecia bem aos seus olhos justamente por não terem ensinamentos corretos, não havia dedicação e muito menos zelo pela Palavra do Senhor, esqueceram dos princípios que um dia receberam. O estado espiritual do povo era o mesmo que o do sacerdote “sem visão” (1Sm 3.2).

2-A punição pelos pecados de Eli e sua família aconteceu de duas maneiras: a destruição quase total de uma família sacerdotal e a humilhação de uma nação inteira. Mas ainda ficaram descendentes e parentes de Eli, os quais, mais à frente foram mortos por Saul. Nessa ocasião o Tabernáculo tinha sido transferido para Nobe, e o sumo sacerdote era Aimeleque, bisneto de Eli. Por achar que este tinha ajudado Davi a fugir, Saul mandou matar ele e todos os demais sacerdotes, em número de oitenta e cinco. Só escapou Abiatar (1Sm 22.6-23), que mais tarde tornou-se sumo sacerdote, durante o reinado de Davi, mas foi destituído por Salomão, cumprindo-se a profecia do homem de Deus em Siló (1Sm 2.35,36; 4.2; 1Rs.2.27).

3-Houve diversos prenúncios da punição divina a Eli e seus filhos, aos quais ele não deu a devida atenção, e por isso o desastre atingiu não somente sua família, mas a todo o povo de Deus. O próprio Eli os avisou que um pecado cometido contra o Senhor não permitiria intercessão (1Sm 2.22-25). Depois Deus usou o menino Samuel para dizer a Eli que estava prestes a enviar um castigo terrível sobre ele e seus filhos (1Sm 3.1-21). Eli respondeu a Samuel: “Ele é o Senhor, faça o que bem parecer aos seus olhos” (1Sm 2.18). Cumprindo as profecias divinas, Eli, seus filhos e uma de suas noras, morreram todos no mesmo dia (1Sm 4.12-22).

4-Deus havia dado o sacerdócio a Arão e a seus descendentes para sempre, e ninguém poderia tomar deles essa honra (Êx 29.9; 40.15; Nm 18.7; Dt 18.5 ). Porém, os servos de Deus não podem viver como bem entendem e esperar que o Senhor os honre, “porque aos que me honram, honrarei” (1Sm 2.30). O privilégio do sacerdócio continuaria sendo da tribo de Levi e da casa de Arão, mas Deus o tomaria da linhagem de Eli (1Sm 2.36). No tempo de Davi, havia pelo menos dois descendentes de Eleazar para cada descendente de Itamar (1Cr 24.1-5), de modo que a família de Eli foi, aos poucos, desaparecendo. Eli era descendente de Arão pela linhagem de Itamar, o quarto filho de Arão, mas Deus abandonaria essa linhagem e se voltaria para os filhos de Eleazar, o terceiro filho de Arão e seu sucessor com o sumo sacerdote (ver 1Rs 2.26,27,35). Os nomes de Eli e de Abiatar não aparecem na lista de sumos sacerdotes israelitas em 1Crônicas 6.3-15. Ao confirmar Zadoque com o sumo sacerdote, Salomão cumpriu a profecia proferida pelo homem de Deus quase um século e meio antes.

5-A tragédia também atingiu toda a nação quando os israelitas foram derrotados pelos filisteus, e estes tomaram a Arca da Aliança (1Sm 4.11), símbolo da presença de Deus no meio do povo. Por isso, a mulher de Finéias, que morreu ao saber da notícia e enquanto dava à luz um menino, deu-lhe o nome de Icabode, que significa “Foi-se a glória de Israel” (1Sm 4.19-22).

CONCLUSÃO:

A respeito de “A Degeneração da Liderança Sacerdotal”, devemos pensar Em que consistia o pecado de Eli?

Devemos ponderar um ponto sobre o sacerdote Eli. Não se tem menção dele cometendo abusos em seu ministério, mas seu principal erro foi não corrigir os abusos de seus filhos, perdendo, assim, sua autoridade sobre eles. Contra quem os filhos de Eli pecaram? Os filhos de Eli pecaram contra DEUS. Que Deus nos ajude a criarmos os nossos      

Filhos, como diz Provérbios 22:6, “instrui o menino no caminho”; é se fizermos a nossa parte Deus por certo, fará a Dele. Como Obreiros ensinemos a Palavra, para dizer como Paulo em Atos 20:27, “ porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus”.



O conteúdo e as opiniões expressas são de inteira responsabilidade de seu autor.

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria

Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Templo Sede
Av. Moreira e Silva, nº 406, Farol

 

Horário de Cultos

Aos Domingos 09:00h - Escola Dominical

Aos Domingos 18:30h - Culto Evangelístico

As Terças-feiras 18:30h - Culto de Doutrina

As Sextas-feiras 18:30 - Culto de Oracão

Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais