11 de dezembro de 2019
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

AD Alagoas / Lições Bíblicas

17/08/2019

Lição 07- A MORDOMIA DO DÍZIMO E DAS OFERTAS

Comentário da lição bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues


INTRODUÇÃO:

Os dízimos e ofertas são parte importante da nossa intimidade com Deus e são praticados há muito tempo pelos servos do Senhor, como por exemplo Abraão que entregou dízimos a Melquisedeque (Gênesis 14.17 – 20).

Após a morte de Jesus e sua ressurreição ao terceiro, quando a Igreja se organizou, a história revela que os cristãos continuaram com a prática de honrar ao Senhor com seus bens. 

Portanto, neste estudo bíblico, veremos qual é a importância do tema na Bíblia. Outro ponto muito importante é: como deve ser a administração dos dízimos e ofertas do Senhor? Pois somos mordomos. Muitos cristãos não compreendem a importância da contribuição financeira no Reino de Deus. A maioria questiona a prática no Novo Testamento. Portanto, desejo que a lição de hoje nos ajude a compreender e descobrir a importância de ser um dizimista fiel.

I- DÍZIMOS E OFERAS NA IGREJA LOCAL

1. Dízimos e ofertas.

-A palavra “dízimo” em hebraico é (ma’aser) que significa “a décima parte”. Como dito anteriormente, Abraão já tinha esta prática (Gênesis 14:17-20). Ou seja, não é algo que passou a existir com a Lei.

Um outro exemplo de liberalidade é o caso de Caim e Abel (Gênesis 4:3,4). Ambos apresentam suas ofertas materiais a Deus, mas Abel ofereceu o que havia de melhor em seus bens. Embora a prática tenha início antes da Lei, a obrigatoriedade da entrega dos dízimos e ofertas veio com ela. Os israelitas deveriam entregar da décima parte e ofertas das crias de seus animais, da produção agrícola e de tudo aquilo que gerasse renda. O objetivo era demonstrar gratidão a Deus pelas bênçãos divinas, como está escrito em Levítico 27:27-32.

1.1. A igreja local tem como fonte legítima de recursos os dízimos e as ofertas. Fundamentos para o dízimo no Antigo Testamento (Lv 27.30-33, Ml 3.10). Fundamentos para o dízimo no Novo Testamento (Mt 23.23; 2 Co 8.8-15)

1.2. Ao longo da história homens deram o dízimo na casa do Senhor

1.3. É uma prática pela necessidade natural da Obra do Senhor. (Nm 18.26; Lc 18.12)

2. O cuidado com recursos externos.

2.1. Os recursos da Igreja não devem vir de: governos, órgão públicos, organismos financeiros

2.2. Esse tipo de recurso daria margem a práticas ilícitas aos olhos de Deus (compare: Mt 27.6)

3. Outras fontes de recursos.

3.1. Se houver centro social, pode haver recursos vindo do poder público

. É necessário cumprir as prescrições legais. ‘Sem aparência do mal’.

3.2. A igreja jamais deve lançar mão de bingos, rifas e outros jogos de azar. Isso é pecado; desagrada a Deus.

3.3. Se os irmãos se reunirem não haverá necessidade de ajuda externa (At 4.34)

II – OS DÍZIMOS E AS OFERTAS NO AT. E NT.:

1. Os dízimos no Antigo Testamento.

1.1. Origem do dízimo.

a. Dízimo (hb. ma´aser – décima parte)

b. Teve origem no sentimento sincero do patriarca Abraão. (Gn 14.14-20)

. Dar o dízimo reflete um sentimento de gratidão, generosidade

. O que legitima o dízimo é o sentimento de gratidão do fiel ao seu Criador (Gn 28.22)

c. Quando o dízimo se tornou lei, a gratidão, que é subjetiva, estava no “espírito” da lei

1.2. O dízimo é do Senhor (Lv 27.30).

a. Quando damos o dízimo:

. Não restituímos nada a Deus

. Não fazemos barganha com Deus (1Cr 29.14)

1.3. O objetivo do dízimo no Antigo Testamento.

a. Por que Deus instituiu o dízimo como Lei? (Ml 3.5; Dt 26.12; Jr 22.3).

. Para a manutenção da Sua Casa

. Para o sustento da classe sacerdotal (Ne 10.37; 18.21).

. Para o cuidado com os órfãos e as viúvas

b. Nesse sentido, há promessas de bênçãos aos dizimistas (Ml 3.8-10)

2. O dízimo no Novo Testamento.

2.1 O caso dos Fariseus em relação ao dízimo

a. Eram rigorosos em relação à entrega dos dízimos. (Mt 23.23)

. O Senhor denuncia o legalismo e a hipocrisia dos fariseus e não a entrega do dízimo

2.2. Os dois propósitos do dízimo no Novo Testamento

a. O dízimo é necessário para manter o ministério em tempo integral.

. O princípio do sustento do ministério integral no Novo Testamento (1 Tm 5.17,18).

. Os que se dedicam exclusivamente à obra de Deus, que ‘vivam do Evangelho’ (1Co 9.14)

b. O dízimo é necessário para a assistência social.

. O compromisso da Igreja é, também, com os órfãos, as viúvas e pessoas carentes (1Tm 5.3,8)

. Essa é a verdadeira religião (Tg 1.27)

CONCLUSÃO: Que Deus nos ajude a entender porque a palavra diz que quando não dizimamos roubamos a Deus? Por causa do propósito de (Malaquias 3.10). Quando entendemos este ponto tudo fica muito mais claro. O propósito de Deus nos dízimos é que a sua obra seja mantida, como um todo. Ele quer que sua obra seja mantida, como sempre foi desde o Antigo Testamento por dizimistas e ofertantes fiéis. 

Ao entregar nossos dízimos e ofertas estamos sendo participantes do Reino de Deus(Mt 6:33).



O conteúdo e as opiniões expressas são de inteira responsabilidade de seu autor.

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria

Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Templo Sede
Av. Moreira e Silva, nº 406, Farol

 

Horário de Cultos

Aos Domingos 09:00h - Escola Dominical

Aos Domingos 18:30h - Culto Evangelístico

As Terças-feiras 18:30h - Culto de Doutrina

As Sextas-feiras 18:30 - Culto de Oracão

Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais