19 de dezembro de 2018
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

AD Alagoas / Lições Bíblicas

19/10/2018

Lição 3- O CRESCIMENTO DO REINO DE DEUS

Comentário da Lição Bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues


Texto: Marcos 4.30-32; Mt 13.31-33; Lc 13.18-19

INTRODUÇÃO:

Temos pelo menos três evangelhos legítimos pregados no Novo Testamento - JESUS pregava o evangelho do reino.

E, depois que João foi entregue à prisão, veio JESUS para a Galileia, pregando o evangelho do reino de DEUS, Marcos 1:14

E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim. Mateus 24:14

Ele, porém, lhes disse: Também é necessário que eu anuncie a outras cidades o evangelho do reino de DEUS; porque para isso fui enviado. Lucas 4:43

Paulo pregava o Evangelho da Graça de DEUS (Evangelho de JESUS CRISTO, Evangelho de Paulo, Evangelho da Glória de DEUS)

Mas de nada faço questão, nem tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor JESUS, para dar testemunho do evangelho da graça de DEUS. Atos 20:24. Reino de Deus cresce e continuará crescendo até a consumação dos séculos.

I. INTERPRETAÇÃO DAS PARÁBOLAS SOBRE O REINO DE DEUS

1. A semente de mostarda.

Mostarda - Brassica nigra - Mais comum em Israel. Esta era a menor semente conhecida na época de JESUS - o grão de mostarda.

A menor semente conhecida hoje é o grão do teff.

Tendo como base a Parábola do Grão de Mostarda, mostraremos nesta aula a franca expansão do Reino de DEUS sobre a terra através da Igreja.

Roguemos ao Senhor, pois, que nos ajude a colocar em prática cada uma das lições encontradas nessa parábola.

1. A semente de mostarda. (MT 13.31)

-O grão de mostarda (v.31). A palavra mostarda é de origem egípcia (sinapis) e aparece por cinco vezes nos três primeiros Evangelhos (Mt 13.31; 17.20; Mc 4.31; Lc 13.19; 17.6). Nos dias de JESUS, a mostarda negra (sinapis nigra) era a mais conhecida. Suas sementes, depois de trituradas, serviam de tempero para os alimentos.

A mostarda era uma planta que, em terra fértil, crescia rapidamente até três ou quatro metros. Em seus ramos, aninhavam-se as aves do céu.

O poder misterioso da fé. Em outro evento, JESUS usou a figura do ―grão de mostarda‖ para ilustrar o poder misterioso e qualitativo da fé. Ler Mt 17.20.

A dificuldade dos discípulos em curar um menino (Mt 17.14-19) deu a JESUS a oportunidade não só de expulsar o demônio que oprimia a criança, como também de mostrar-lhes que a fé é produtiva quando procede de CRISTO. Esta é posta em ação, como confiança absoluta em DEUS, segundo a sua Palavra. Voltando ao ―grão de mostarda‖, vejamos as suas características.

1.1. Semente de Mostarda simboliza aquilo que é pequeno e insignificante

. Quando plantada se torna grande (Mc 4.32)

. Encontramos mencionada nos Evangelhos Sinóticos por cinco vezes (Mt 13.31; 17.20; Mc 4.31; Lc 13.19; 17.6).

2. Os contrastes.

2.1. É o contraste:

. Entre um começo aparentemente insignificante e uma coroação surpreendente;

. Entre o oculto hoje e o revelado no futuro

2.2. O reino de Deus é como tal semente (Mc 13.24-27; Ap 5.9-13; 7.9; Dn 2.33,34).

. Atualmente, possuí um tamanho insignificante

. Mas, abrangerá o Universo inteiro

3. As aparências enganam.

3.1. O Senhor nos ensina aqui a não nos deixarmos levar pelas aparências. (Mt 22.16)

. Muitas vezes julgamos as coisas pelo aspecto exterior. (Js 9.3-5)

3.2. O ensino de Cristo apresenta o poder misterioso da fé que dá início ao Reino de Deus.

. Jesus começou seu ministério com alguns discípulos. (Jo 2.2)

. Ao longo da história a Igreja alcançou milhares de pessoas. (At 2.41; 4.4; 19.19)

. Hoje a Igreja de Cristo compõe-se de bilhões de crentes espalhados pelo planeta (Mt 8.11).

II. A EXPANSÃO DO REINO DE DEUS

1. O campo de semeadura.

O campo, de acordo com Mateus, a terra, de acordo com Marcos e a horta, de acordo com Lucas, representam o coração dos homens onde a semente a que nos referimos, foi plantada, ou seja todos os seres humanos que habitam a Terra.

O ―campo‖ desta parábola pode ser interpretado como o mundo, onde foi semeado o evangelho. No dia de Pentecostes, o grupo de quase cento e vinte pessoas (At 1.15,16), mediante a ação do ESPÍRITO SANTO, imediatamente cresceu e multiplicou-se para quase três mil almas (At 2.14,37-41).

Podemos perceber a diferença nos 3 evangelhos sinóticos. Marcos 4.30-32; Mateus 13.31-33; Lucas 13.18,19

Terra, Campo, Horta.

Podemos comparar com Atos 1:8 - Mas recebereis a virtude do ESPIRITO SANTO, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.

Horta (Jerusalém e Judéia)

Campo (Samaria e Israel)

Terra (Todo mundo, toda criatura - Mc 16:15)

1.1. Detalhes nos evangelhos sinóticos

. Mateus descreve o homem semeando na terra, Marcos, no campo, enquanto Lucas fala de horta.

. Esses detalhes, por se tratar de uma parábola, não devem nos prender.

. Muitas pessoas têm se perdido aos detalhes na interpretação de parábolas.

. O “campo”, sem dúvida alguma, trata-se do mundo (Mc 16.15; Mt 24.14)

. O Evangelho vem sendo pregado ao redor do mundo (At 1.8)

2. Um lugar debaixo da sombra.

2.1. O arbusto de mostarda aqui retratado tem cerca de três metros de altura, ou pouco mais.

. Seus galhos possuem tamanho suficiente para permitir que pássaros construam seus ninhos e consigam abrigar-se debaixo da sua sombra.

. Essa imagem de uma grande árvore, onde pássaros habitam seus galhos e animais descansam à sua sombra, é um ensino a respeito do destino dos grandes impérios, bem como sobre a ascensão do Reino de Deus (Ez 17.22-24; Dn 4.10-14).

3. Não despreze os pequenos começos.

3.1. Este ensino nos dá uma conscientização e encorajamento na obra (1Co 15.58)

3.2. Revela que a igreja enfrenta diversas lutas neste mundo, mas vai vencer (Mt 10.16; Lc 10.19)

3.3. A parábola lembra-nos do cedro no qual os pássaros encontrarão abrigo “à sombra dos seus ramos” (Ez 17.23 cf. 31.6).

3.4. A parábola lembra-nos da pergunta feita pelo profeta Zacarias: “[...] quem despreza o dia das coisas pequenas?” (Zc 4.10).

III. QUEM PARTICIPA DO REINO DE DEUS?

CONDIÇÕES PARA SER DISCÍPULO DE JESUS:

1- LEVAR A CRUZ E SEGUIR JESUS;

2- DAR FRUTO (ALMAS);

3- RENUNCIAR A TUDO QUANTO TEM.

4- PERMANECER NA PALAVRA DE DEUS

5- AMAR JESUS MAIS DO QUE SUA PRÓPRIA VIDA, MAIS DO QUE A SEU CÔNJUGE E A SEUS PARENTES.

E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo. Lucas 14:27 Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. João 15:8

Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo. Lucas 14:33

JESUS dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; João 8:31

Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. Lucas 14:26

1.1. Para que possamos participar do Reino de Deus é preciso atender ao convite de Cristo (Mc 8.34).

. Ser discípulo de Cristo significa muito mais que atender a um convite de “vir à frente” (Mt 11.28)

1.2. O texto de Marcos diz que o convite é dirigido a quem “quiser”.

. Isso significa que a soberania divina não violenta a liberdade humana.

1.3. Depois de receber o chamado do Espírito, é preciso que haja uma decisão pessoal e essa decisão envolve renúncia. (Mt 16.24)

2. Quem tem uma relação pessoal com Jesus.

2.1. Um discípulo de Cristo não é um “admirador”, mas um seguidor.

. Jesus nos chama a segui-lo. (Mc 1.17)

. Um verdadeiro discípulo segue as pegadas de Cristo (1Pe 2.21).

2.2. Aquele que participa do Reino de Deus é uma pessoa obediente (Jo 15.14).

. Nós devemos obedecer ao comando de Jesus, pois Ele é o Senhor (Jo 21.6)

3. Quem tem uma caminhada dinâmica com Cristo.

3.1. O discípulo de Cristo tem uma caminhada dinâmica com Ele.

. Trata-se de um desafio diário.

3.2. Todos os nossos sonhos e realizações devem ser pautados na vontade do Senhor. (Mt 6.10)

3.3. No âmbito do Reino de Deus “ganhar” é perder, e “perder” é ganhar (Mc 8.35)

. Somos chamados para assegurar os interesses do Reino e, para isso, muitas vezes, temos de deixar de lado os interesses egoístas e a aparente segurança terrena. (Gl 2.20)

4. A prática do discipulado

4.1. O tema do discipulado tem sido esquecido entre os evangélicos na atualidade.

4.2. Na Grande Comissão, temos o mandamento de “fazer discípulos” (Mt 28.19,20).

. O crescimento do Reino vem através do discipulado

CONCLUSÃO:

FÉ - Semente de mostarda - cresce rápido e forma uma árvore. A fé em JESUS CRISTO, como a semente de mostarda, deve crescer e se tornar uma frondosa árvore que se chama IGREJA (reunião dos salvos pela graça de DEUS, através da fé em JESUS).

Os próprios discípulos de JESUS pediram ao Senhor que se lhes acrescentasse a fé (Lc.17:5) e o próprio Senhor afirmou que a fé tem diferentes graus, pois falou de pequena ou pouca fé (Mt.8:26), de fé grande (Mt.15:28). A possibilidade de aumento da fé está evidenciada na figura da mostarda, que, sendo uma das menores sementes, produz a maior das hortaliças. JESUS disse que a nossa fé deve ser assim, ou seja, ter a capacidade de crescer e se tornar a maior das nossas qualidades espirituais (Mt.13:31,32; 17:20), até que seja formada a Igreja. ÁRVORE - Mostarda com seus ramos - IGREJA - denominações (Todos os salvos dentre os povos - gentios e judeus)

A Igreja é formada por todos os que ouvindo a Palavra de DEUS se arrependeram de seus pecados e aceitaram a JESUS CRISTO, confessando-O como Senhor e Salvador, crendo também que Ele ressuscitou dentre os mortos. (Rm 10.9-13)

TRONCO DA ÁRVORE - JESUS - sustenta e dá poder de vida à Igreja

Os ramos da árvore crescem e se espalham por toda parte se estiverem unidos na Árvore que é JESUS CRISTO, pois sem CRISTO nada podemos fazer para o reino de DEUS.

PÁSSAROS - Toda raça humana (gentios e judeus) que não são salvos e que procuram uma religião para se abrigarem, uns para se auto justificarem, outros para terem algum tipo de lucro, outros para a destruírem, outros para se unirem à mesma.

De acordo com as outras parábolas e referências bíblicas creio que os pássaros do céu são referência à ação de demônios, porém nem sempre estes vencem, pois alguns que antes eram dominados por demônios, podem, ao se aninharem na Árvore, se converterem realmente ao Senhor JESUS CRISTO. É interessante notar que nem todas as parábolas possuem uma aplicação direta e marcante. Em muitas delas, o crente precisa contentar-se em deixar que a parábola cumpra seu objetivo sem que haja uma hermenêutica forçada. A parábola do grão de mostarda nos apresenta a realidade de que o Reino de Deus teve um início insignificante e, desde então, cresce assustadoramente. Ao final dos tempos, ele atingirá todo o Universo.



O conteúdo e as opiniões expressas são de inteira responsabilidade de seu autor.

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria
Cadastro Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.
Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais