19 de julho de 2018
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

AD Alagoas / Lições Bíblicas

30/06/2018

LIÇÃO Nº 1 – LEVÍTICO, ADORAÇÃO E SERVIÇO AO SENHOR.

Comentário da Lição Bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues


Texto: Levítico 27.28-34

INTRODUÇÃO

O livro de Levítico é diferente do que os outros livros do Pentatêuco porque relata quase exclusivamente o sistema das leis para governar Israel na sua vida religiosa, civil, dietética e diária. Este livro não relata a história de Israel, mas as leis dadas por Deus a ela. O livro de Levítico é tópico em vez de ser cronológico. Por que estudar esse livro?

A palavra Levítico deriva do termo em latim que faz referência aos levitas, uma das 12 tribos de Israel. Os levitas eram portadores do sacerdócio menor e tinham a responsabilidade de oficiar no tabernáculo e, depois, no templo em Jerusalém (ver Números 3:5–10). O livro de Levítico contém instruções sobre o cumprimento dos deveres do sacerdócio, como o sacrifício de animais e outros rituais que ajudariam a ensinar os filhos de Israel a respeito de Jesus Cristo e Sua Expiação (ver Nm. 34:13–14). O Senhor revelou um propósito primordial para as instruções que deu no livro de Levítico: “Santos sereis, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo” (Levítico 19:2; ver também Levítico 11:44–4520:2621:6). Ao estudar esse livro, os alunos podem aprofundar seu entendimento e apreço pela Expiação do Salvador. Podem também aprender verdades importantes que os ajudarão a ser santos, isto é, limpos espiritualmente e designados para propósitos sagrados. O ato de viver essas verdades preparará os alunos para servir ao Pai Celestial e a Seus filhos.

1 - Tema: Santidade - A santidade de Deus na separação e na santificação. A palavra chave do livro é santidade e esta palavra em várias formas é falada muitas vezes; santificar, santíssimo, santo, santuário, limpo e santidade. O versículo chave é 19:2: “santos sereis, porque eu, o senhor vosso Deus, sou santo”. Outro versículo que diz a mesma verdade é 11:44. Podemos ver uma grande verdade neste tema; temos que pregar tanto a expiação pelo sangue de Cristo quanto a vida de santidade baseada na expiação feita pelo sangue de Cristo. O salvo tem que saber como andar com Deus na comunhão.

2 - Data: Cerca de 1445-1405 a.C. Este livro relata as leis levíticas que Deus deu a Moisés na tenda (tabernáculo) da congregação. Deus deu estas leis a Moisés logo depois que o tabernáculo foi feito e pronto e a glória de Deus o encheu (Êx. 40:34). Foi durante um mês que Deus falou a Moisés o livro de Levítico? Compare Êx. 40:34, Lv. 1:1 e Nú. 1:1.

3 - O livro de Levítico e o Novo Testamento. Há algumas 40 referências ao livro de Levítico no Novo Testamento. Uma delas fica em Mt. 8:4. O livro de Levítico é explicado mais perfeitamente no livro de Hebreus.

Introdução: A verdadeira adoração a Deus compreende, necessariamente, o nosso serviço voluntário, santo e amoroso ao seu Reino.

I - SOBRE O LIVRO DE LEVÍTICO

1. Canonicidade

1.1. Levítico, foi reconhecido, desde o princípio como 'a Palavra de Deus'

1.2. O livro foi posto 'junto à Arca da Aliança, no Tabernáculo' (Dt 31.26)

1.3. É também chamado de 'Livro do Senhor' ou 'Livro da Lei' (Is 34.16; 2Rs 22.8)

1.4. Ele deve ser considerado como a Palavra inspirada, inerrante e completa de Deus (2Pe 1.21)

2. Gênero literário

2.1. Em virtude de seu gênero literário, o livro de Levítico pode ser considerado o manual do culto divino do Antigo Testamento (Lv 23)

2.2. É também considerado o estatuto nacional, social e pessoal do povo hebreu (Lv 17.1-7)

3. Autoria

3.1. Moisés é o autor

3.2. Por toda obra é visto a interação entre Moisés e Deus (Lv 1.1; 5.14; 8.1; 15.1; 21.1; 27.1)

II - A RAZÃO DO LIVRO

1. Purificar Israel das abominações do Egito

1.1. Moisés teria de arrancar o Egito do coração de Israel

. Exemplo: O episódio do bezerro de ouro (Êx 32.1-10) (mostrava que o Egito estava no coração do povo ainda)

1.2. Para arrancar Israel do Egito bastou um dia; para arrancar o Egito de Israel, quarenta anos não foram suficientes (Nm 14.33,34)

1.3. No livro de Levítico o povo iria aprender a separar o puro do impuro (Lv 10.10; 15.31; 20.25)

1.4. Esse recurso didático Israel seria reconhecido como nação sacerdotal, profética e real (Êx 19.6)

2. Preservar Israel das iniquidades de Canaã

2.1. Israel iria receber, por herança, uma terra ainda mais idólatra do que o Egito (Lv 18.3)

. Por esse motivo, as recomendações divinas eram enérgicas (Dt 18.9)

. Por isso, Levítico tem estatutos, leis e regras

3. Transformar Israel num povo santo, adorador e obreiro

3.1. Moisés devia educar os filhos de Israel (Lv 11.45)

3.2. A missão de Israel era ser uma nação 'bênção para todas as famílias' (Gn 12.1-3; Dt 14.2)

. Israel iria revelar Cristo ao mundo (Jo 4.22)

III - O MANUAL DO SACERDOTE

1. Atividades cultuais

1.1. Os levitas zelavam pela santidade, perfeição e beleza do culto do Deus de Israel (Nm 3.12)

. Seu ofício devia refletir a glória de Deus (Lv 9.1-6)

. Eram conforme as prescrições do Senhor (Lv 8.1-36; 10.8-11)

2. Atividades santificadoras

2.1. A herança de Levi era a santificação (Lv 20.7)

. Os sacerdotes tinham de ser santo para depois ensinar sobre santificação (Lv 16.1-11)

. Paulo, também ensina aos obreiros (1Tm 4.16)

3. Atividades intercessoras

3.1. O sacerdote fazia intercessão entre o pecador arrependido e o Deus Santo (Lv 9.7)

. Exemplo: a intercessão do sacerdote na rebelião de Coré (Nm 16.46)

. Hoje, em virtude do sacrifício de Cristo, não mais necessitamos de intermediários humanos para nos achegarmos a Deus (1Jo 4.10; Hb 7.26,27)

3.2. Sejamos santos, intercedendo com as mãos santas levantadas (1Tm 2.1,8)

IV– O SACERDÓCIO NO LIVRO DE LEVÍTICO

( Lv 8-10).

- O tabernáculo estava tudo pronto e as ofertas dadas e explicadas por Deus, portanto Deus escolheu, ordenou, comissionou e consagrou o seu sacerdócio para fazer os deveres do tabernáculo. Tudo isto foi o que o Senhor mandou fazer, 8:5. Podemos aplicar isto para o povo de Deus, porque a Bíblia em I Pe. 2:9 diz que somos o sacerdócio real de Cristo e em Ap. 1:6 e 5:10 que nos fez os sacerdotes para Deus. Todo crente (salvo) é o sacerdote de Cristo nosso Sumo Sacerdote, Hb. 10:19-22. Vamos notar algumas coisas que fizeram parte da consagração do sacerdócio de Aarão que tem aplicação para nós os sacerdotes (sacerdócio real) de Cristo. Tudo isto não tem nenhuma semelhança ao sacerdócio católico.

- A consagração do sacerdócio de Aarão. 8-9.

1. Ordenado por Deus. É Deus que faz isto na salvação e no ministério. Nesta passagem Moisés representa Deus. Observa os versículos At. 2:39 e I Tm. 2:7. Na salvação foi Deus que escolheu, salvou e consagrou os eleitos para ser os servos da sua obra. No ministério também é Deus que chama e coloca os homens na obra dele. É o Senhor que decide quais homens serão os pastores do seu povo. Devemos reconhecê-los como sendo enviados por Deus. Também temos que manter com muito cuidado as qualificações deles. Podemos ver esta verdade nas qualificações dos sacerdotes em Levítico 21. O povo de Deus não tem direito para negar o homem chamado por Deus para pregar, nem colocar no ministério o homem desqualificado, I Tm. 3:1-13 3 Tt. 1:5-9. O homem chamado por Deus para pregar deve ser reconhecido pelo povo de Deus como sendo “chamado” e “qualificado” para este fim.

2. Eles foram lavados com água, 8: 6. Água fala da Palavra de Deus. Ser separados a Deus pela Palavra de Deus e puros para servir o Senhor aceitavelmente, João 17:17-19. Neste sentido Jesus mesmo se separou assim para ser o Salvador. Deus não usa alguém no seu serviço, nem no ministério, que não está separado do mundo. Para entrar no serviço do sacerdócio era necessário para o corpo ser lavado todo, depois foi só necessário para lavar as mãos e os pés para fazer as coisas de Deus no tabernáculo, João 13:10 3 I João 1:9- 10. Para entrar no sacerdócio real, o pecador tem que ser lavado dos seus pecados no sangue pela obra do Espírito Santo através da Palavra de Deus, Tt. 3:5.

3. Ser vestidos na roupa do sacerdócio. 8:7-13. Nota que primeiramente o Sumo Sacedote (Aarão) foi vestido e ungido com o azeite e depois os outros sacerdotes (os filhos de Aarão). Aarão era mais exaltado, a roupa mais bonita, e ungido antes dos sacrifícios ser feitos. Jesus Cristo, nosso Sumo Sacerdote, não tinha que ser separado pelo sangue para ser ungido pelo azeite (o Espírito Santo), porque é o Filho perfeito de Deus que recebeu o Espírito Santo sem medida. Ele é exaltado sobre todos, vestido na beleza da sua própria justiça, ungido no Espírito Santo sem medida e o sacrifício salvador do seu povo. Nós somos vestidos na justiça imputada dele. Os outros sacerdotes foram vestidos depois de Aarão e ungidos só depois de ser consagrados pelo sangue.

4. Consagrados pelo sangue dos sacrifícios. 8:4-26. A única maneira de ser consagrado (santificado e salvo) é pela imputação da justiça de Cristo (a roupa do sacerdote) e pelo sangue do sacrifício de Deus (Jesus Cristo que derramou seu sangue para nos salvar). V. 23-24 dizem que os sacerdotes foram marcados da cabeça ao pé para o serviço do Senhor pelo sangue. Somos comprados pelo sangue para glorificar a Deus no nosso corpo e no nosso espírito, os quais todos pertencem a Deus, I Cor. 6:20. Pôs o sangue sobre a ponta da orelha direita, sobre o polegar da mão direita e sobre o polegar do pé direito de Aarão primeiro e depois dos outros sacerdotes. Jesus, nosso Sumo Sacedote, se separou para ser o Salvador para que nós possamos ser salvos e separados a Deus e ao seu serviço. A orelha direita, o polegar da mão direita e o polegar do pé direito falam do fato que Deus separou nosso ouvir, servir e andar ao seu serviço pelo sangue do Cordeiro. Nosso ouvir, servir e andar não pertencem mais a nós, mas a Deus exclusivamente.

5. “Tudo isto pôs nas mãos de Aarão e seus filhos”. 8:27-29. Moisés (representa Deus) botou um bolo asmo, um bolo de pão azeitado e um coscorão sobre a gordura e a espádua direita e tudo isto pôs nas mãos dos sacerdotes. Simbolicamente (os sacerdotes moveram tudo isto que tinham nas suas mãos por oferta de movimento perante o Senhor) eles estavam oferecendo a Deus seus sentidos e motivos mais íntimos (gordura), o melhor que tinham da vida (a cauda), sua força (espádua direita), o andar digno do Senhor (os pães de vários tipos). O Senhor merece o melhor?

6. Espargiu o sangue sobre eles e os ungiu com o azeite. 8:30. Eles foram salvos, separados e consagrados pelo sangue e pelo Espírito Santo (azeite). Agora também o sangue foi espargido sobre os vestidos. Os vestidos simbolizam a maneira de viver. A nossa maneira de viver deve ser santificada e separada a Deus. Jd. 23. Ap. 3:4 e 16:15.

7. A comida dos sacerdotes. v. 31-32. Simboliza a paz e a comunhão que temos com Deus através do sacrifício Jesus Cristo que sofreu a ira (fogo e calor) de Deus por nós.

8. A separação durante sete dias. 8:33-36. Mostra a separação do sacerdócio real para o serviço de Deus exclusivamente durante a vida toda. Sete é o número de perfeição ou complemento. A nossa vida deve ser devotada a Jesus até que venha (o dia em que saiu, v. 9:1).

- O fogo estranho. 10. Exemplo solene para nós termos muito cuidado para não mudar nenhuma coisa que Deus mandou. O que Nadabe e Abiú fizeram era uma grande negligência e desprezo da vontade de Deus. Observa o que estes dois filhos de Moisés fizeram: ascendeu incenso com fogo que não veio do altar de cobre (16:12), sem autorização para fazer, incenso falso e no lugar errado. A obra de Deus é para ser feita como ele diz ou a conseqüência é severa. A obra é do Senhor e ele exige uma exatidão na sua obra. Tem lugar para novidades e invenções na obra dele?

CONCLUSÃO:

Estamos diante de um livro rico, em matéria de serviço,   Adoração e Expiação. O cerne do livro de Levítico é o conceito da Expiação; a palavra expiação aparece mais frequentemente neste livro do que em qualquer outro volume de escrituras. Levítico descreve em detalhes o sistema de sacrifícios de animais que serviam para lembrar Israel de que “é o sangue que fará expiação pela alma” (Levítico 17:11). Assim, esses sacrifícios ajudavam simbolicamente Israel a centralizar o foco no sacrifício de Jesus Cristo, que derramaria Seu sangue para expiar os pecados da humanidade. Esse é o segredo maior de como nos tornamos Santos. Não por obras nossas, mais pela obra de Cristo na cruz, que nos santifica(Hb 13:12).”Por isso, para santificar o povo por intermédio do seu sangue, Jesus igualmente sofreu fora da porta da cidade. Amém.



O conteúdo e as opiniões expressas são de inteira responsabilidade de seu autor.

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria
Cadastro Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.
Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais