17 de dezembro de 2017
Siga-nos nas redes sociais Facebook Twitter Instagram

AD Alagoas / Lições Bíblicas

20/05/2017

LIÇÃO 08 – ABIGAIL, UM CARÁTER CONCILIADOR

Comentário da lição bíblica para o fim de semana com o Pr. Jairo Teixeira Rodrigues


Texto: (1 Sm 25.18-24,27,28) 

INTRODUÇÃO 

Estudaremos, na lição deste domingo, a respeito do caráter de Abigail. Ela foi uma mulher sábia que edificou sua casa e demonstrou ter habilidade para lidar com os conflitos. Embora fosse uma mulher inteligente, teve a desventura de se casar com um homem tolo. A insensatez de Nabal fez com que ele ofendesse Davi e seus liderados, suscitando ira e desejo de vingança. Eles estavam prestando um favor a Nabal ao proteger seus rebanhos. Se não fosse a intervenção sábia de Abigail, toda a família de Nabal teria perecido. Quando a crise familiar chegou, Abigail com coragem e sabedoria, soube tomar as atitudes certas e na hora certa. Que nos momentos de crise, venhamos buscar em Deus sabedoria para agirmos com prudência, coragem e deforma pacífica.

Abigail era esposa de Nabal, um rico fazendeiro, proprietário de grandes rebanhos de ovelhas e de cabras, que vivia nas proximidades do Carmelo, em Maom, não muito distante do deserto de Para. Ali, os pastores de Davi travaram contato com os pastores de Nabal. Necessitando de alimento para seus homens. Davi mandou pedir víveres a Nabal. Ao ouvir o pedido, Nabal encolerizou-se e afrontou Davi diante dos mensageiros, negando qualquer apoio (1Sm 25.10,11). Irado, Davi ajuntou homens para atacar Nabal e toda a sua casa. A tragédia foi evitada pela pronta intervenção de Abigail, que soube aplacar a ira de Davi. [ Samuel morreu, e todos os israelitas se juntaram e choraram a morte dele. Então o sepultaram na sua casa, em Ramá. Depois disso Davi saiu e foi para o deserto de Parã. Havia um descendente de Calebe, chamado Nabal, da cidade de Maom (1Sm 25),a atual Maim, situada a 11 Km a sudeste de Hebrom, e ganhava a vida na cidade de Carmelo. Ele era muito rico. Tinha três mil ovelhas e mil cabras. A sua mulher se chamava Abigail. Ela era bonita e inteligente, mas ele era mau e grosseiro. Durante as suas vagueações, Davi chegou ao local onde Nabal morava e, ouvindo que ele estava prestes a tosquiar as suas ovelhas, enviou-lhe dez dos seus homens a pedir-lhe “o que achares à mão para os teus servos“. O tempo da tosquia era uma ocasião de mostrar hospitalidade e generosidade, quando os envolvidos eram servidos com muita comida e bebida. Sendo assim, esta era a ocasião certa para Davi pedir uma ajuda a Nabal. Foi o que fez. Enviou a Nabal dez homens, com o objetivo de solicitar-lhe ajuda material para suprir as necessidades daqueles que o acompanhavam. O pedido de Davi era apenas o que qualquer xeique árabe teria solicitado, mesmo nos tempos modernos, para proteção dos rebanhos de outrem. Nabal, entretanto, fiel ao significado de seu nome (“louco”) insultou os mensageiros de Davi. Amontoou insultos contra Davi, como se fosse um ninguém. Não admira, pois, que Davi tenha ficado indignado e tenha marchado contra Nabal com 400 homens armados de espadas (12-13). Nabal ofendeu-se com o pedido e disse de um modo insultuoso: “Quem é Davi e quem é o filho de Jessé?” (expressão idiomática da época para se referir a um João-ninguém). Em 1Sm 25, informou-se Abigail do fato e logo se deu conta do perigo que o seu lar estava correndo.] Dito isto, vamos pensar maduramente a fé cristã?

PONTO CENTRAL

Abigail era sábia e possuía um caráter conciliador.

Nesta lição faremos um contra ponto sobre o caráter duro e maligno de Nabal com o caráter justo e sábio de sua esposa Abigail. Destacaremos os pontos negativos deste homem cruel, egoísta e arrogante; e também sobre os pontos positivos desta mulher pacificadora, humilde, sábia, intercessora, prudente e corajosa que foi Abigail. 

I - CARACTERÍSTICAS DO CARÁTER DE NABAL 

Nabal descendia do famoso Calebe, companheiro de Josué (1Sm 25.3), e seu nome significa: “tolo, louco” (1Sm 25.25) (CHAMPLIN, 2000, p. 1212). Na passagem bíblica em que aparece este personagem, Davi não exigiu dele que mandasse grandes quantidades de víveres, mas, sim, que enviasse para seus homens o que “achasse à mão”, ou seja, o que pudesse mandar (1Sm 25.8-c). Porém, ao ouvir o pedido de Davi, Nabal encolerizou-se diante dos mensageiros e disse que não atenderia o pedido de um homem que, na visão dele, era mais um fugitivo de “seu senhor”, o rei Saul (1Sm 25.10).Vejamos alguns aspectos do seu caráter: 

1.1 Nabal um homem maligno. Nabal é descrito como um homem de caráter “[...] duro e maligno nas suas ações” (1Sm 25.3), do qual ninguém poderia aproximar-se com segurança: “[...] e não há quem lhe possa falar” (1Sm 25.17-c). Um de seus servos, bem como a própria esposa, o chamaram de “filho de Belial”, dizendo que: “[...] a loucura estava com ele” (1Sm 25.25). O termo hebraico “beliya’al” refere-se a pessoas que transgrediam a lei deliberadamente (WIERSBE, 2010, p. 272). 

1.2 Nabal um homem egoísta. Davi protegera os pastores de Nabal de atacantes árabes e filisteus (1Sm 25.7,8), no entanto, quando os jovens explicaram-lhe educadamente a situação, Nabal insultou-os. Nabal tinha informações de Davi, como o texto indica, em sua referência ao seu pai: “[...] e quem é o filho de Jessé?” (1Sm 25.10-b). Nabal era partidário de Saul e considerava Davi um rebelde (1Sm 25.10), suas palavras sem dúvida, revelam o coração de um homem egoísta e arrogante (1Sm 25.10,11). Davi precisava sustentar 600 homens no deserto (1Sm 23.13), e Nabal “[...] pagou mal por bem” (1Sm 25.21 ver Pv 17.13). 

1.3 Nabal um homem arrogante. A resposta de Nabal aos homens de Davi foi dura, e sem dúvida alguma, era uma grande afronta. Foi enviada uma original saudação a Nabal, mostrando-lhe cortesia e desejando todas as coisas boas para ele, seus familiares e servos (1Sm 25.5,6,8). Mesmo com toda essa saudação a resposta de Nabal demonstra seu caráter prepotente e arrogante (1Sm 25.10,11). Esse insulto indica que ele pertencia à facção de Saul e que odiava Davi (ELLICOTT apud CHAMPLIN, 2000, p. 1213). 

1.4 Nabal um homem ingrato. Em ocasiões anteriores, Davi chegara a dar proteção aos pastores de Nabal seus homens serviam de apoio e de guarda para os rebanhos: “De muro em redor nos serviram [...]” (1Sm 25.16). Proteção foi dada aos pastores, que estavam muito vulneráveis em campo aberto, com suas ovelhas. Os homens de Davi não lhes haviam feito nenhum mal nem os tinham furtado, e podemos supor que tenham dado proteção contra os temíveis filisteus, que tinham o mau hábito de atacar pessoas que de nada suspeitavam (1Sm 25.7,8; 15-17) (CHAMPLIN, 2000, p. 1213 – grifo nosso). 

II - CARACTERÍSTICAS DO CARÁTER DE ABIGAIL 

Antes de falarmos sobre quem foi Abigail esposa de Nabal (1Sm 25.3) e conhecermos a sua história, precisamos considerar duas outras mulheres que aparecem com esse mesmo nome na narrativa bíblica. Uma trata-se da filha de Naás Rei de Amom (2Sm 17.25) e a outra era a filha de Jessé irmã de Davi (1Cr 2.13-16). O nome Abigail significa “Fonte de alegria” ou “exultação” (LIMA, 2017, p. 87). A beleza de Abigail estava em seu nome, em sua aparência e em seu caráter: “[...] Abigail; e era a mulher de bom entendimento e formosa [...]” (1Sm 25.3). Para entendermos o caráter de uma pessoa, faz-se necessário conhecer um pouco de sua história, de suas atitudes e ações. Vejamos algumas de suas qualidades: 

2.1 Abigail uma mulher pacificadora. Abigail agiu com extrema prudência, e apaziguou o coração de Davi, pedindo perdão e o fez reconhecer que a vingança não era a melhor decisão naquele momento. Assim que soube das resoluções do coração de Davi, ela apressou-se para apaziguá-lo e pacificá-lo. Davi ficou tão grato que louvou a Deus por aquele encontro, fruto não da casualidade, mas, sim, da providência divina: “Bendito o Senhor, Deus de Israel, que, hoje, te enviou ao meu encontro”. Diante de tão grande livramento, pois essa atitude vingativa desagradaria a Deus e desonraria seu nome, Davi agradeceu a Deus e a Abigail (1Sm 25.33- 35 ver Pv 31.30). Após cumprir a sua missão de paz, “[...] voltou Abigail a Nabal” (1Sm 25.36-a). 

2.2 Abigail uma mulher intercessora. Abigail intercedeu por Nabal, e assumiu a culpa do marido como se fosse sua pedindo clemência a Davi: “Perdoa a transgressão da tua serva [..]” (1Sm 24,28). Ela tentou aplacar a fúria dele, explicando que o marido era louco e que ela não tinha agido em favor dele e dos moços porque não viu o momento em que eles chegaram ao Carmelo: “Meu senhor, agora não faça este homem vil, a saber, Nabal, impressão no seu coração, porque tal é ele qual é o seu nome. Nabal é o seu nome, e a loucura está com ele, e eu, tua serva, não vi os moços de meu senhor, que enviaste” (1Sm 25.25). 

2.3 Abigail uma mulher prudente. A sua prudência pode ser vista, principalmente, no seu jeito de falar. Sete vezes Abigail chamou a si mesma de “tua serva” e oito vezes chamou a Davi de “meu senhor” (1Sm 25.24, 25, 27, 28, 31, 41). Abigail mostrou isso“Agora, pois, meu senhor, vive o Senhor, e vive a tua alma, que o Senhor te impediu de vires com sangue, e de que a tua mão te salvasse; e, agora, tais quais Nabal sejam os teus inimigos e os que procuram mal contra o meu senhor” (1Sm 25.26). Abigail reconheceu Davi como rei (1Sm 25.28,30) quando o chamou de “meu senhor”. 

2.4-Abigail uma mulher sábia. É provável que em várias ocasiões, Abigail já tivesse feito reparos aos atos de seu marido, e esse era um dos fatores que o mantinham rico e abastado. Abigail não se demorou em preparar para Davi e seus homens uma pequena provisão: “Abigail se apressou [...] e prostrou-se sobre o rosto diante de Davi [...]” (1Sm 25.18-a; 23, Pv 14.1). “E agora este é o presente que trouxe a tua serva a meu senhor; seja dado aos moços que seguem ao meu senhor. Perdoa, pois, à tua serva esta transgressão, porque certamente fará o Senhor casa firme a meu senhor [...]” (1Sm 25.27,28) (CHAMPLIN, 2000, p. 1213). 

2.5 Abigail uma mulher corajosa. Ciente de que se tratava da esposa de Nabal, Davi poderia tê-la executado ali mesmo. De outra sorte, ela poderia ser severamente castigada por seu marido por causa do ato de independência: “[...] nada disse ela a seu marido Nabal.” (1Sm 25.19). Seus servos partiram na frente, mas ela deve ter mudado de ideia acerca de sua missão e foi pessoalmente: “[...] enquanto ela, cavalgando um jumento, descia” (1Sm 25.20). Abigail considerou ser importante ir pessoalmente, e foi o que fez, mesmo ariscando sua própria vida, pois muita gente dependia de seu sucesso (1Sm 25.12,13). Enquanto Nabal, o tolo, estava ocupado com bebidas, comidas e festejos, essa valente mulher saiu para enfrentar um exército irado. 

2.6 Abigail uma mulher humilde. Abigail fez o que Nabal deveria ter feito; “prostrou-se com o rosto em terra” em homenagem ao futuro rei de Israel. É interessante ver a forma como Abigail agiu com humildade diante de Davi e de todo o exército que o acompanhava reconhecendo o homem de honra e de guerra que ele era: “Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, e desceu do jumento, e prostrou-se sobre o seu rosto diante de Davi, e se inclinou à terra. E lançou-se a seus pés, [...] deixa, pois, falar a tua serva aos teus ouvidos, e ouve as palavras da tua serva.” (1Sm 25.23,24). 

2.7 Abigail uma mulher conciliadora. Davi reconheceu que a atitude de Abigail aplacou a ira dele e disse que o Senhor Deus de Israel era quem havia enviado aquela mulher ao seu encontro: “Então Davi disse a Abigail: Bendito o Senhor Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro. E bendito o teu conselho, e bendita tu, que hoje me impediste de derramar sangue, e de vingar- me pela minha própria mão [...]” (1Sm 25.32-35). 

2.8 Abigail uma mulher determinada. Abigail diz a Davi que ele não leve em conta o que o seu esposo fez, porque o seu nome indicava sua loucura (1Sm 25.24). Ela ainda anteviu a vitória de Davi sobre seus inimigos e disse que ele seria feito por Deus “chefe sobre Israel” e que, quando assim sucedesse, Davi não se esquecesse dela (1Sm 25.30,31). “E mandou Davi falar a Abigail, para tomá-la por sua mulher” (1Sm 25.39 ver ainda 25.41). 

2.9 Abigail uma mulher submissa. Abigail causara tamanho impacto em Davi com seu caráter e sabedoria a ponto dele considerar que seria uma boa rainha. Assim, enviou mensageiros a fim de pedir a mão de Abigail em casamento, e ela se sujeitou a seu rei e se ofereceu até para lavar-lhe os pés dos seus servos: “Vindo os servos de Davi a Abigail [...] ela se levantou, inclinou-se com o rosto em terra, e disse: Eis aqui a tua serva, pronta para servi-te e para lavar os pés dos servos do meu senhor” (1Sm 25.40,41). Tornou-se esposa de Davi e deu-lhe um filho por nome de Quileabe, também chamado Daniel (2Sm 3.3; 1Cr 3.1). 

III – O QUE APRENDEMOS COM O CARÁTER DE ABIGAIL 

3.1 Ser pacificador. A Bíblia nos diz que: “Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens” (Rm 12.18). Fomos conclamados a seguir a paz e, na medida do possível, ter paz com todos os homens (Sl 34.14; 133.1; Mt 5.9; Ef 4.1-3; 1Co 7.15; Hb 12.14; 1Pe 3.11). “E ao servo do Senhor não convém contender [...]” (2Tm 2.24,25 ver Tt 3.2). 

3.2 Ser intercessor. De acordo com o Dicionário Aurélio interceder é: "pedir, rogar, suplicar (por outrem); intervir (a favor de alguém ou de algo)". No sentido bíblico do NT é “pedir em favor de outros” (Mt 8.6-13; At 12.5, 12; 13.3; Tg 5.14,16; Hb 13.18,19). O apóstolo Paulo em muitas das suas epístolas, discorre a respeito das suas próprias orações em favor de várias igrejas e indivíduos (Rm 1.9,10; 2Co 13.7; Fp 1.4-11; Cl 1.3,9-12; 1Ts 1.2,3; 2Ts 1.11,12; 2Tm 1.3; Fm .4-6). 

3.3 Ser prudente. Bíblia diz que a casa e a fazenda são a herança dos pais; mas do SENHOR vem a mulher prudente (Pv 19.14;12.16; Pv 15.1). 

3.4 Ser sábio. O desejo de Deus é que andemos em sabedoria (Cl 1.9,28). e, o apóstolo Tiago ensina que a única maneira de alcançá-la é pedindo a Ele (Tg 1.5). Por isso, sempre que precisarmos de sabedoria devemos recorrer a Ele, que é a fonte de toda sabedoria (Dn 2.20; Rm 11.33; Tg 1.17). A sabedoria é a capacidade espiritual de ver e avaliar nossa vida e conduta do ponto de vista de Deus. Inclui fazer escolhas acertadas e praticar as coisas certas (Dt 34.9; Ed 7.25; Pv 2.6,7). 

3.5 Ser humilde. Segundo Aurélio, humildade significa: “ausência completa de orgulho, rebaixamento voluntário por um sentimento de fraqueza ou respeito; praticar a humildade, modéstia, pobreza”É o mesmo que ausência de orgulho, soberba ou vaidade. A humildade é necessária para quem deseja servir a Deus (Mq 6.8), pois é uma das principais virtudes dos santos (Sl 34.2; Pv 16.19; Mt 5.3; Ef 4.1,2), e ela precede a honra (Pv 15.33; 22.4) 

3.6 Ser submisso. Cristo dá o exemplo de verdadeira humildade: "Pois, no meio de vós, eu sou como quem serve" (Lc 22.27). "... tal como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate por muitos" (Mt 20.28). Foi dito dele, também: "... antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo" (Fp 2.7; ver 1Tm 2.6; Tt 2.14). 

CONCLUSÃO 

Como já vimos Nabal, seu nome significa “sem juízo”. Rico, tinha terras, ovelhas, muitos servos e principalmente uma mulher fantástica, mas era insensato, não reconhecia o valor dessas coisas, não reconhecia o valor de sua mulher, não reconheceu nem o favor que Davi fez aos seus empregados. Os próprios servos de Nabal descrevem seu mestre como “tão mal-humorado que ninguém pode falar com ele.” O incidente mostra que as pessoas precisam responsabilizar os seus líderes, embora isso possa acontecer com o custo de um grande risco pessoal. Você não tem que ter status de autoridade para ser chamado para exercer influência. Mas você precisa de coragem, que felizmente é algo que você pode receber de Deus a qualquer momento. A intervenção de Abigail também demonstra que demonstrar respeito, mesmo fazendo uma crítica pontiaguda, fornece um modelo para desafiar a autoridade. Nabal transformou um pequeno argumento em uma situação de risco de vida envolvendo uma pequena disputa em um insulto pessoal. Abigail resolve uma crise com risco de vida, vestindo uma reprimenda maior em um diálogo respeitoso. De que maneiras Deus pode estar chamando você para exercer influência para manter as pessoas em posições de autoridade superior responsáveis? Como você pode cultivar uma atitude piedosa de respeito, juntamente com um compromisso inabalável de dizer a verdade? Que coragem você precisa de Deus para realmente fazê-lo?

Concluímos que a história de Abigail e Nabal nos ensina que devemos cultivar as características positivas de um bom caráter como fez esta mulher, e evitarmos os maus exemplos deste homem que foi egoísta, duro e maligno. 

REFERÊNCIAS 
CHAMPLIN, R. N. Antigo Testamento versículo por versículo. Vol. 2. HAGNOS. 
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD. 

LIMA, Elinaldo Renovato de. O caráter do cristão. CPAD 

Chat

Interaja com a comunidade do Portal AD Alagoas.

participe »

Rádio Online

Ouça

Cadastro

Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.

Correspondente

Interaja com o Portal AD Alagoas e envie sugestões de matérias, tire suas dúvidas, e faça parte do nosso conteúdo.

participe »
Lições Bíblicas
Estudos Bíblicos
Correspondente - Enviar Matéria
Cadastro Cadastre-se e receba as últimas novidades do Portal AD Alagoas.
Facebook Twitter Siga-nos nas Redes Sociais